Bebê de 7 meses é a quarta vítima do sarampo no Brasil

Caso é o primeiro fatal no estado desde 2013

(Foto: Getty Images)

Primeira morte causada por sarampo em Pernambuco foi confirmada hoje, 2 de setembro, em Taquaritinha do Norte, após passar por análises laboratoriais. A vítima foi um bebê de 7 meses e apesar de ser assentida hoje, o incidente ocorreu em 17 de agosto. De acordo com o Ministério da Saúde, esse é o primeiro caso fatal desde 2013.

A partir de um boletim divulgado, há 13 casos de sarampo no estado sendo eles: Três em Recife, três em Caruaru, um em Frei Miguelito, um em Santa Cruz e cinco em Taquaritinga do Norte. Outros 296 estão sendo investigados.

Morte confirmada em São Paulo

Foram 2.331 casos registrados no Brasil (Foto: Shutterstock)

Menina de 4 meses, infectada pelo sarampo no início de agosto, na região metropolitana de São Paulo, demonstrava histórico de doenças pulmonares. A morte foi registrada na última sexta-feira, 30 de agosto, e já é a terceira confirmada. Os médicos tentaram usar antibióticos para combater a doença, que foram tomados semanas antes da bebê contrair o vírus. As informações foram divulgadas no último sábado, 31 de agosto, pela Secretaria do Município de Osasco.

Um menino de nove meses,  também vítima da doença, foi infectado antes da nova regra, no meio de julho deste ano. Mesmo sido atendido pela rede particular, faleceu em 6 de agosto, na capital. No caso da menina de quatro meses, as condições de doenças pulmonares foram consideradas um fator de risco na contração do vírus. Ela não poderia ter sido imunizada por causa da idade, assim como afirma o protocolo especial. Os sintomas dos dois começaram com pneumonia, uma das complicações mais comuns da infecção do sarampo.

Por questões de segurança e eficácia, as duas doses da vacina devem ser dadas aos 12 e 15 meses, porém, por conta do surto que está acontecendo no país, o Ministério da Saúde determinou que a imunização poderia ser feita a partir dos 6 meses. A imunização da “dose zero” continua sendo aplicada em bebês de 6 meses a 11 meses e 29 dias em creches/CEI e também em postos de saúde.

Leia também: