Bebê morre após cair em balde de água quente deixado pela mãe e justiça toma uma decisão

Katie Crowder deixou o objeto no corredor de casa quando a filha, de apenas um ano, se desequilibrou e caiu dentro, causando uma série de paradas cardíacas

Resumo da Notícia

  • Gracie Crowder se desequilibrou e caiu dentro do balde com água quente
  • A mãe foi acusada por negligência
  • A justiça tomou uma decisão sobre Katie Crowder, mas voltou atrás
  • A bebê teve uma série de paradas cardíacas
A bebê teve várias paradas cardíacas (Foto: reprodução / The Sun)

Katie Crowder, mãe de Gracie, de apenas 1 ano, foi presa e acusada de negligência por deixar um balde de água quente no corredor de casa, que causou a morte da menina. O caso aconteceu na noite da última sexta-feira, 6 de março, e a emergência foi chamada para salvar a vida da criança.

-Publicidade-

De acordo com o jornal britânico The Sun, Gracie ainda foi encaminhada para o hospital, mas acabou não resistindo aos ferimentos. Katie acredita que foi “um acidente trágico” e um “caso profundamente triste”. Val Blackwell, presidente de um banco, concedeu dinheiro para que a mãe pagasse a fiança condicional.

A mãe tem 25 anos (Foto: reprodução / The Sun)

Após cair dentro do balde, Gracie sofreu várias paradas cardíacas. Após a promotoria apelar e voltar atrás sofre a fiança, Katie foi detida em custódia e será ouvida em um novo julgamento, que está previsto para o dia 6 de abril.

-Publicidade-

Sempre alerta!

Ela caiu dentro do balde (Foto: reprodução / TV Anhanguera)

Uma menina de um ano e oito meses caiu dentro de um balde com água, em casa, no Parque Atheneu, em Goiânia, na terça-feira, 17 de dezembro. A mãe, depois de encontrar a filha roxa, pediu ajuda para um vizinho, que é policial militar, e conseguiu salvar a bebê.

Tudo aconteceu por volta das 12h, enquanto Leandro Ribeiro Silva, pai da criança, estava no trabalho. Ele acredita que a filha, Débora Silva, derrubou o copo que estava brincando dentro do balde e se desequilibrou ao tentar pegá-lo. “Não deu nem dois minutos. Minha esposa enxaguou um pano no balde e foi para a sala aqui do lado. Passou um minutinho, ela não ouviu o barulho da minha filha e, quando veio aqui fora, ela já estava virada e toda roxa“, disse em entrevista ao G1.

A menina já está em casa (Foto: reprodução / TV Anhanguera)

Assim que percebeu que tudo estava muito silencioso, a mãe viu a criança e foi pedir socorro ao vizinho. Ele fez todos os procedimentos de reanimação e ficou emocionado quando Débora apertou o dedo dele: “Peguei a menina, coloquei no braço e iniciei os procedimentos. Fiquei aproximadamente dois ou três minutos até que ela vomitasse a água que ela tinha ingerido. Quando ela segurou o meu dedo, aquilo foi uma emoção muito grande”, desabafou.

Ele disse ainda que foram os “dois minutos mais longos da vida”. Após os primeiros socorros serem feitos, ela foi encaminhada para a Unidade de Pronto Atendimento Geraldo Magela e ficou em observação. O pai da menina afirmou que ela está bem e já se alimenta e brinca normalmente.

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!

-Publicidade-