Notícias

Bebê morre enquanto dormia na mesma cama que a mãe e o desabafo dela vai te fazer repensar os riscos

Savannah emocionou todo mundo com o texto que escreveu

Nathalia Lopes

Nathalia Lopes ,Filha de Márcia e Toninho

Abby tinha quatro meses na época (Foto: Reprodução/Facebook)

Muitos são os perigos que envolvem colocar um bebê para dormir na mesma cama dos pais. Mesmo que alguns digam que se você tomar certas atitudes ainda é ok, colocar o seu filho pequeno para dormir com você pode ser fatal. Por isso mesmo, uma mãe americana usou a triste história que viveu para criar um alerta e avisar os outros pais dos riscos da cama compartilhada.

Savannah Struchen, usou as redes sociais para fazer um desabafo depois que perdeu a filha. A mãe de três filhos escreveu um texto emocionante no Facebook. Ela começa dizendo que sabia quais eram os riscos de fazer o que ela fazia, mas ela seguia as dicas para deixar o ambiente um pouco mais seguro.

“A maioria das mães não leu sobre asfixia posicional porque sua cama de adulto é muito mole, mesmo que seja um colchão firme para os padrões adultos. A maioria das mães nunca ouviu falar que o bebê pode realmente se sufocar com os seios delas”, desabafa.

“A maioria das mães não pensa que um bebê ficará completamente impotente para sair de uma situação sufocante. Aquela mãe, ou pai, ou um irmão que também compartilha a cama, pode rolar… ou até colocar um braço ou outra parte do corpo sobre o bebê. Que um travesseiro ou cobertor possa mudar de posição e acabar no rosto da criança”.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas dormindo e bebê

“Você sabe como eu sei tudo isso? Porque eu era a mãe. Eu tive uma emergência familiar. Meus dois filhos mais velhos tiveram uma queda ruim. Fiquei na sala de emergência e, mais tarde, em um hospital infantil, por quase 24 horas”, explica.

Quando ela chegou em casa, ela apenas pensou em colocar a filha para dormir e ir descansar.”Então eu deitei, coloquei o bebê no peito e adormeci. Eu acordei, havia sangue na minha camisa e saindo do nariz dela. Entrei em pânico, lembrando a história de uma mãe que perdeu o bebê ao compartilhar a cama”.

Pânico

Savannah começou a entrar em um estado de negação. “Eu não. Não é meu bebê. Não poderia ser. Ela acordaria se eu a pegasse e trocasse a fralda, certo? Lembro-me de chorar e gritar, não, não, não. Lembro-me de meu marido correndo para o quarto, me perguntando o que havia de errado…”.

“Lembro-me dele gritando escada abaixo, dele ligando para o 911, tentando fazer massagem cardíaca. Lembro-me dos paramédicos chegando. Lembro-me de ter conversado, de ir para a delegacia e de ser interrogada. Lembro-me do policial pegando minha camisa como prova e me entregando outra. Lembro-me de chorar até que meus olhos estavam inchados e minha cabeça doía”.

A mãe jura que não fez de propósito e que se sente culpada por isso. “Eu pensei que estava fazendo a coisa certa para o meu bebê. Fui assegurada por várias mães em grupos de que era seguro. Não pensei nos perigos, apesar de ter sido avisada, apesar de ter sido educada por médicos e enfermeiros de sono seguro”.

“Ele não é mais meu marido. Meus outros dois filhos foram adotados por outra família. Perdi tudo – só porque corri esse risco. Pergunto a todas as mães que leem isso e ainda compartilham a cama, você REALMENTE quer correr o risco de uma variável muito pequena matar seu bebê?  Você realmente acha que pode vencer as probabilidades? Eu gostaria de não ter corrido esse risco. Eu gostaria de ter ouvido”, encerra.

O caso aconteceu em 2017, mas Savannah decidiu fazer esse depoimento no Facebook apenas no dia 21 de setembro.

Leia também: 

Bebê na cama dos pais: conheça os prós e contras desta prática

Cama compartilhada

Sempre alerta: bebê de 1 ano morre depois de se afogar em objeto comum da casa

Fique por dentro do conteúdo do Youtube da Pais&Filhos