Do leitor: crianças conhecendo seus irmãos pela primeira vez

As fotos foram enviadas pelas nossas redes sociais, mande a sua também!

Há três semanas nós fizemos uma matéria de uma seleção de fotos mostrando cenas de crianças conhecendo seus irmãos pela primeira vez. As imagens, espontâneas e lindas, fizeram tanto sucesso na nossa página do facebook, que resolvemos fazer nossa própria galeria com fotos que as nossas leitoras nos enviaram. Confira esse primeiro-encontro muito especial:

-Publicidade-

Podemos dizer que ter filhos, hoje em dia, é escolha. Isso porque temos recursos anticoncepcionais para evitá-los, as técnicas de reprodução assistida ajudam quem tem dificuldades fisiológicas e sempre existe a (linda) opção de adotar uma criança. Claro que ter filho não é (ou pelo menos não deveria ser) uma obrigação. Muitas vezes, não rola mesmo. Faltam condições financeiras, físicas ou emocionais. Ou a pessoa simplesmente escolhe não ter filhos. E não há nenhum problema nisso, desde que você se sinta bem com sua escolha.

Mas hoje, nossa missão com esta reportagem não é fazer você refletir sobre a escolha de ter ou não ter filhos. Neste 23 de setembro é comemorado o Dia dos Filhos, data criada com o intuito de ajudar a fortalecer o vínculo entre pais e filhos.

Criar filhos é, sem dúvida, a tarefa mais difícil da vida. A família atual mudou muito de configuração e uma nova sociedade foi criada. Mas em meio aos novos papéis, uma coisa nunca muda: seu filho continua precisando do convívio com você, seja pai, mãe ou responsável. Por isso, aproveitamos este dia 23 para te dar bons motivos para ter um (ou mais!) filhos. Olha só:

Por que você quer. E muito

A gente não acha que ninguém é obrigado a ter filho, claro. Só tem de ter mesmo quem quer de verdade. E hoje isso é mais do que possível. A pílula é um pouco mais velha que a Pais&Filhos – chegou ao Brasil em 1962. Mesmo com todos os recursos que existem, 20% dos bebês no país nascem de mães com menos de 20 anos, e tem coisa errada aí. A gravidez nasce de um desejo (pode ser o de ter um lugar dentro da sociedade), e, para muitas jovens, acaba sendo o de ser mãe. O que a gente defende é que esse desejo seja consciente e venha na hora certa. Filho só pode ter a função de ser filho.

Para deixar de ser só filho

E crescer! Básico: se você não tem filho, nunca deixa de ser filho. E aí, o seu crescimento é mais lento e mais difícil. Claro que a gente não deixa de ser filho nunca, mas deixar de ser SÓ filho amplia, abre possibilidades novas, importantes, ricas. Filho nos traz essa oportunidade de nos tornarmos adultos de verdade.

Previous Next