Juiz toma nova decisão sobre caso do avô que deixou a neta cair do 11º andar de cruzeiro

Salvatore estava respondendo por homicídio e negligência

O caso aconteceu em julho (Foto: reprodução / Metro)

Na última terça-feira, 17 de dezembro, o juiz e o promotor responsável pelo caso do avô Salvatore Anello, que derrubou a neto do 11º andar de um cruzeiro, por acidente, tomou uma nova decisão sobre o caso. Ele está respondendo por homicídio e negligência e de início, foi condenado há três anos de prisão.

-Publicidade-

Salvatore, que mora em Indiana, nos Estados Unidos, recebeu a proposta de teria a possibilidade de não ser preso, caso afirmasse que havia sido negligente com a neta. A menina, de 1 ano e meio, caiu de uma altura de 150 metros no dia 7 de julho desse ano, depois de Salvatore achar que a janela em que segurava a neta estava fechada.

A menina tinha um ano e meio (Foto: reprodução / Metro)

Depois de não aceitar a proposta do promotor, ele disse que não havia sido negligência, mas sim um acidente. Uma nova audiência será marcada para o dia 27 de janeiro de 2020. O avô ainda contou que por ser daltônico, não conseguia perceber se a janela estava aberta e irá alegar isso na próxima audiência.

-Publicidade-

“Perder a Chloe é a pior coisa que poderia ter acontecido comigo, então eu não me importo. Nada pior pode acontecer comigo além do que já aconteceu”, desabafou Salvatore à um veículo local.

Leia também:

Avô que deixou a neta cair do 11° andar de navio quebra silêncio e fala pela primeira vez sobre o acidente

Juiz dá sentença para avô que derrubou a neta de um ano do 11° andar de cruzeiro

Família do avô que deixou a neta cair do 11º andar em navio divulga foto para mostrar o local do acidente

-Publicidade-