Kobe Bryant e Gianna: investigação diz que decisão do pai antes do voo contribuiu para acidente

O caso do jogador e da filha, de 13 anos, ainda está sendo analisado pelas autoridades e a assistente pessoal dele falou sobre o assunto pela primeira vez

Resumo da Notícia

  • Kobe Bryant e a filha não sobreviveram ao acidente
  • O jogador tomou a atitude na noite anterior ao voo
  • A assistente pessoal de Kobe se pronunciou sobre o ocorrido
  • A investigação continua acontecendo
O ex-jogador deixou a esposa e três filhas (Foto: reprodução / Instagram @vanessabryant)

O acidente que levou a vida de Kobe Bryant e da filha, Gianna, apresentou novos documentos sobre o dia 26 de janeiro. De acordo com o Daily Mail, foi mostrado nas investigações que uma atitude do jogador poderia ter mudado tudo antes do momento acontecer.

-Publicidade-

Em uma conversa no telefone com Cate Brady, assistente pessoal de Kobe, o jogador teria pedido para que o voo de helicóptero fosse antecipado em 45 minutos na noite anterior. O motivo seria de que ele gostaria de assistir a partida de um jogo pela manhã.

O episódio, que aconteceu por volta das 10h, ocorreu por causa de um nevoeiro, que confundiu o piloto Ara Zobayan. Segundo o jornal britânico, as investigações concluíram que a névoa se elevou exatamente 45 minutos mais tarde.

-Publicidade-
Kobe e Gigi não sobreviveram ao acidente (Foto: reprodução/ Instagram @kobebryant)

“Eu na verdade mudei a hora (do voo) na noite anterior, provavelmente por volta das 18h ou 19h, porque Bryant decidiu que queria assistir outro time jogar antes”, começou Cate. “Era para ser uma partida às 9h45, mas na noite anterior mudamos”.

Ela explicou ainda que a família do jogador nunca pressionou a empresa de helicópteros a sobrevoar em uma condição ruim: “Isso nunca ocorreu. Se houvesse um problema, eu era assistente de Kobe há tempo suficiente para me voluntariar a levar ele de carro até o local. Mas nunca tivemos isso”.

Após o acidente, Vanessa, esposa de Kobe entrou com um processo contra a empresa de helicópteros por não cancelar o voo em meio às condições daquele dia. O caso ainda segue em investigação e segue na Justiça.

-Publicidade-