Notícias

Mãe de menina que morreu envenenada fala pela primeira vez sobre o caso

A polícia suspeita de que ela tenha sido intoxicada por um sanduíche

Cinthia Jardim

Cinthia Jardim ,filha de Luzinete e Marco

Ela teve uma parada cardíaca (Foto: reprodução / Facebook)

Hoje, 25 de outubro, a polícia seguiu com as investigações de Lorrana Madalena, de 14 anos, que foi supostamente envenenada. De acordo como informado ao Extra, depois de ouvir diversos depoimentos, foi feito uma perícia na barraquinha de sanduíches da família, para saber se houve procedimento irregular na preparação dos lanches, pois a nova suspeita é que ela tenha morrido depois de fazer uma refeição. A possibilidade de ela ter sido envenenada por uma bala foi descartada.

Com os depoimentos, se sabe até o momento que antes do acidente a criança havia tomado remédios, chá fitoterápico e comido o sanduíche. Ontem, 24 de outubro, a mãe, Gisele José da Luz, de 32 anos, passou duas horas na delegacia para prestar depoimento. Ela afirma que a filha foi envenenada dentro do trem e não pelo lanche.

“Eu só quero a minha filha de volta. Eu não aceito o que fizeram. Foi uma vida interrompida. Tem que investigar quem foi essa pessoa. Olha o meu sofrimento, olha o sofrimento da minha família”, desabafou ao Extra. “Eu cheguei a brigar com ela. Eu disse: quase morri uma vez porque eu comi um alimento que me deram. Você não lembra? — contou Gisele. — A minha filha foi a mais esperada. Eu tive ela aos 16 anos. Agora, ela não está mais aqui”.

De acordo com um investigador da Polícia Civil, ele garante que é pouco provável a morte por envenenamento em uma bala: “Uma bala não caberia uma quantidade de veneno para matar uma pessoa. E caso houvesse, de fato o material na bala, ela teria tido uma morte instantânea. A criança morreu horas depois. Estamos investigando se ela comeu alguma coisa a noite e se isso causou a morte”.

Testes inconclusivos

A polícia informou também que os exames de toxicologia podem dar negativos, pois a adolescente já havia sido medicada duas vezes, além de tomar o chá fitoterápico e também passar por uma lavagem estomacal, na Unidade de Pronto-Atendimento do Jardim Íris, no Rio.

Desabafo da avó

Lorrana completaria 15 anos em 6 de janeiro de 2020. O sonho dela era que houvesse uma festa de debutantes com o tema do desenho da Disney, “A princesa e o sapo“. “Íamos começar a pagar a festa dela neste mês. A minha neta está muito empolgada para ser debutante. E agora? Nem tivemos o prazer de pagar a primeira parcela da festa”, contou Eliane Maria José Luz, de 67 anos, que é a avó materna da menina. “Ela amava ficar com as amigas. Quando não estava brincando, estava dentro do quarto dormindo ou mexendo no celular”, concluiu.

Entenda o caso

A adolescente pode ter sido envenenada por um sanduíche (Foto: reprodução / Facebook)

A criança morreu após passar mal na última quarta-feira, 23 de outubro, depois de ser supostamente envenenada por uma mulher dentro de um trem. O caso aconteceu em São João de Meriti, na Baixada Fluminense e a criança foi levada para a UPA Jardim Íris.

De acordo com a família da menina, em entrevista ao Extra, Lorrana chegou em casa sentindo dores de cabeça e disse que isso podia ter acontecido depois de ter aceitado um doce, no vagão em que estava. Após ser levada para a Unidade de Pronto Atendimento, por volta da meia-noite, ela começou a ter episódios de vômito, que depois foram seguidos por uma parada cardíaca, na qual acabou não resistindo.

Leia também:

Madrasta dá veneno para a enteada de 11 anos para ficar com herança

Menino autista consegue se comunicar com a emergência e salva a vida da mãe

Sempre alerta: criança morre após ser esquecida dentro do carro