Mãe decide seguir com gestação de gêmeo sem cérebro para salvar a vida do outro bebê

Camille tinha anencefalia mas qualquer procedimento feito com ela poderia afetar Cameron

Jessica passou por uma série de emoções ao descobrir que um dos bebês não tinha cérebro (Foto: arquivo pessoal/reprodução Love What Matters)

Jessica Koenig, mãe de Hannah, Cameron e Camille, precisou enfrentar uma monta-russa de sentimentos quando descobriu que estava grávida de gêmeos. Ela e o marido, Matt, não poderiam estar mais felizes, foram seis meses tentando engravidar do segundo filho do casal quando receberam a notícia de que teriam, três filhos.

Mas infelizmente essa história teve uma virada radical, quando estava com 19 semanas, Jessica descobriu que um dos bebê não tinha cérebro. “Matt e eu nos encontramos no consultório médico. Eram exames de ultrassom, que começou com a Baby A (Cameron) e tudo foi medido perfeitamente, acho que ela tirou cerca de 40 medidas e fotos! Em seguida, ela foi para o bebê B (Camille) mas era uma ordem diferente para as medições. Ela pulou a cabeça, mas eu não pensei em nada grave. Quando chegou a hora de finalmente fazer as medições da cabeça, ela disse as palavras que toda mãe grávida teme: ‘Eu preciso falar com vocês. Há algo errado com o bebê B'”, desabafou Jessica no Love What Matters.

Foi quando ela e Matt descobriram que Camille tinha anencefalia e que poderia abortar a bebê. “Ela disse que este é um defeito incompatível com a vida. Eu não conseguia entender como abraçar as alegrias da gravidez ou sequer imaginar desfrutar de Cameron neste momento. Eu me senti roubada, eu queria minha outra menina”. 

E por mais que o aborto seja recomendado para esses casos de anencefalia, Jessica precisaria seguir com a gestação de Camille porque por mais que os dois estivessem em sacos gestacionais diferentes, o procedimento na menina poderia afetar o outro bebê.

Jessica decidiu que já que estava carregando duas crianças, iria aproveitar cada momento ao lado de Camille. “Nós chegamos a fazer um pequeno chá de bebê e nossos convidados nos apoiaram muito. Eles até deram alguns presentes especiais para ela”.

O nascimento 

Os gêmeos vieram ao mundo depois de uma cesárea na trigésima sexta semana de gestação. “Cameron veio ao mundo muito saudável. Camille ainda surpreendeu seus pais a viver por três dias inteiros. Eu estava preparada para ficar com ela só mais algumas horas, mas essas horas viraram dias. Eu cheguei até a considerar levá-la para casa, achei que poderia sobreviver mais, infelizmente, não aconteceu. Ela sofreu uma série de convulsões e faleceu no quarto dia”, continua Jéssica.

Camille e Cameron minutos depois do parto (Foto: arquivo pessoal/reprodução Love What Matters)

Hoje, Cameron está com seis meses e a mãe desabafou como se sente em relação à não ter os dois bebês com ela. “Não tem um dia em que eu não pense nela. Eu vejo o Cameron e fico imaginando como seria os dois juntos. O Cameron gosta muito de ter alguém tocando ele o tempo todo, eu acho que isso é saudade da irmã. Para mim Cameron sempre será gêmeo e eu sempre serei mãe de gêmeos”, finalizou.

Hoje a família está assim (Foto: arquivo pessoal/reprodução Love What Matters)

Leia também: 

A história da mãe que gestou um bebê sem cérebro apenas para poder doar seus órgãos

Que triste! Mãe é impedida de abortar após saber que bebê nasceria sem cérebro e governo peruano se desculpa

Criança que nasceu sem cérebro faz 6 anos e surpreende os médicos