Notícias

Menina ‘planta bananeira’ em casa e fica paraplégica: “Nossas vidas mudaram drasticamente”

Louise Jones fez um desabafo para alertar outras famílias

Ingrid Campiteli

Ingrid Campiteli ,filha de Sandra e Paulo

A família (Foto: Reprodução / The Sun)

Uma menina de 9 anos ficou paraplégica após ter feito muitas bananeiras no jardim de casa. Louise Jones, mãe de Maisie, decidiu compartilhar a história da filha para alertar outros pais e mães.

A mãe explicou que a menina adorava brincar de ficar planando bananeira em casa. “Um dia ela plantou bananeira e ficou sem conseguir andar alguns minutos depois! Foi de repente!”, contou Louise ao jornal britânico The Sun.

Ela decidiu levar a filha ao hospital imediatamente. No Southend Hospital, a criança foi diagnosticada com “constipação crônica” e recebeu alta pouco tempo depois.  Porém, Louise relatou que a filha mal conseguia anda quando foi para casa. Tudo isso ocorreu em junho de 2019.

Em julho, Maisie sofreu um colapso e foi mandada para o Great Ormond Street Hospital. A esta altura, a menina não conseguia mais se mover do pescoço para baixo. Os médicos constataram que a menina sofreu com transtorno de sistemas neurológicos funcionais, condição que impacta no funcionamento direto do cérebro. Eles ainda afirmaram que no caso da menina, o problema foi inciado pelas bananeiras que ela estava praticando momentos antes de ficar paralisada.

A família está arrecadando dinheiro em uma campanha na internet para os tratamentos de Maisie. Ela está andando, mas os médicos afirmam que não sabem se isto é permanente ou não. “Nós estamos de coração partido, nossas vidas mudaram drasticamente por causa desta condição e nós só queremos que a Maisie volte a andar de novo”, concluiu Louise.

(Foto: Reprodução / The Sun)

Leia também:

Mãe fica paraplégica após erro médico durante o parto e faz desabafo emocionante

Em troca de fotos nuas, ‘feiticeiro’ ameaça crianças por WhatsApp de ficarem paraplégicas

Menino nasce sem conseguir andar e mãe faz alerta sobre atitude na gravidez: “Eu não sabia dos riscos”