Multa por impedir amamentação em público já está valendo em São Paulo

A medida começou a ser aplicada esta semana

 

-Publicidade-

A partir de quarta-feira desta semana, dia 14 de outubro, proibir mães de amamentar em público na cidade de São Paulo pode valer multas de R$ 500. A punição pode ser aplicada a qualquer tipo de estabelecimento fechado (comercial, cultural, recreativo ou de prestação de serviço). Foi decretada pelo prefeito Fernando Haddad e regulamenta uma lei sancionada em Abril deste ano.

Caso o estabelecimento seja autuado novamente em um período de até dois anos da punição anterior, a multa dobra de valor. Segundo o decreto, o constrangimento deve ser denunciado pela vítima à prefeitura, por meio de denúncia formal, escrita ou verbal. As subprefeituras terão que criar um meio eletrônico para receber as denúncias.

(Foto: Shutterstock)

A queixa não pode ser anônima e, se a vítima quiser fazer a denúncia pessoalmente, terá que relatar o ocorrido na subprefeitura. Quando a denúncia for recebida, um fiscal começará a apuração. Caso o fato seja comprovado, o estabelecimento receberá um auto de infração e terá 15 dias para apresentar a defesa. Se a acusação não foi comprovada, a denúncia será arquivada.

Rede de apoio durante a amamentação

Durante todo o processo, o pai pode (e deve!) fazer parte da amamentação. Ele tem um papel fundamental em apoiar e contribuir para que o aleitamento materno seja mais leve e fácil para as mães. Por isso, é muito importante oferecer informações de como eles podem ser a rede de apoio na prática.

Mesmo de maneira simples, cuidar da casa, preparar refeições ou até mesmo levar um copo d’água para a mãe que está amamentando faz toda a diferença. Nesse momento tão importante, a mãe precisa de apoio e reconhecimento. Logo, se a mulher estiver bem cuidada e se sentir bem, o bebê também fica mais confortável! Dentro desse contexto, os pais podem e devem se envolver e participar ativamente.