Notícias

Pai salva filho de tubarões trazidos pelo fucarão Dorian para dentro da cidade

O Serviço Nacional de Meteorologia dos Estados Unidos classificou o fenômeno como o segundo mais forte registrado na bacia do Atlântico

Maria Luiza Cardone

Maria Luiza Cardone ,Filha de Carla e Luiz

Adrian Farrington, 38 anos, salvou seu filho de tubarões trazidos pela correnteza do furacão Dorian em Abaco nas Bahamas. A cidade ficou alagada e trouxe os animais para o interior. A reação foi colocar o menino de 5 anos no telhado da casa, o mais longe possível da água.

Infelizmente, o garoto foi levado pelo forte vento e desapareceu. Dorian estava no estágio 5 enquanto passava pelas Bahamas, os ventos chegavam a quase 300 quilômetros por hora. Destruiu boa parte da cidade, deixando pessoas sem moradia e sem mantimentos.

O pai desabafou sobre o ocorrido: “Eu ainda consegui ouvir ele gritando ‘papai’”.

Pai salva filho de tubarões mas outra tragédia acontece (Foto: Reprodução)

Adrian tentou nadar até o local que o filho foi levado, mas não conseguiu encontra-lo. “Tentei o máximo que pude para encontrá-lo, eu ouvia as equipes de resgate me chamando, mas eu não queria sair de lá sem meu filho”, desabafou Adrian, que acabou sendo resgatado. O menino ainda está desaparecido.

A primeira vítima de Dorian

Lachino Mcintosh, de apenas 7 anos, no último domingo após sua casa ter sido atingida pelo furacão Dorian, em Bahamas. O menino se tornou a primeira vítima fatal do fenômeno enquanto estava procurando algum lugar seguro para ficar.

Segundo o jornal local, os outros integrantes da família de Lachino continuam desaparecidos, mas as buscas não pararam. Imagens compartilhadas por internautas mostram como a cidade ficou destruída, quase nada aguentou e muitas famílias ficaram sem moradia e suplementos.

De acordo com o jornal britânico, Daily Mail, o furacão estava com ventos de até 360 quilômetros por hora e chegou à categoria cinco, o que significa que ele está muito forte. Agora está a caminho do estado da Flórida nos Estados Unidos. Nos estados da Flórida e da Carolina do Sul milhares de pessoas já tiveram que evacuar de suas casas por causa do furacão.

O ministro de Assuntos Exteriores de Bahamas, afirmou à população que não é seguro sair as ruas ainda devido ao alto número de fios e árvores derrubadas. O Serviço Nacional de Meteorologia dos Estados Unidos classificou o fenômeno como o segundo mais forte registrado na bacia do Atlântico.

Fique por dentro do conteúdo do YouTube da Pais&Filhos:

Leia também: 

Já ouviu sobre o furo humanizado na orelha do bebê? 

Mãe doa mais de 28 litros de leite materno para as vítimas do furacão Harvey 

Irmãos fazem 1000 refeições para vítimas do furacão Irma