Prematuros que nasceram com 23 semanas de gestação completam 1 ano

Médicos disseram aos pais que deveriam “se preparar para o pior”

clicavel pisci
(Foto: PA Real Life / Reprodução DailyMail)

No dia 23 de setembro do ano passado, Cadence e Jaxson nasceram com apenas 23 semanas gestacionais. Os médicos disseram aos pais, Jourdan e Matt, que eles deveriam “se preparar para o pior”. Porém, os gêmeos superaram as expectativas de todos e, na próxima semana, completarão 1 ano de vida. Veja a galeria com as fotos da família.

-Publicidade-

Prematuridade: 9 coisas que toda mulher precisa saber antes de se tornar mãe

Como a prematuridade pode ser definida e quando um bebê pode ser considerado prematuro? A prematuridade significa a interrupção da gravidez e a não-formação total dos órgãos de um bebê. Um bebê que nasce antes de 37 semanas de gestação é considerado prematuro.  São divididos em “prematuros extremos”, os que vieram ao mundo antes das 28 semanas. Temos também a faixa de prematuros considerados “intermediários” que nascem entre 28 e 33 semanas. E grupo dos “prematuros tardios” que nascem entre 34 até 36 semanas e 6 dias.

Quais são os principais motivos de uma criança nascer prematura? A prematuridade tem causas multifatoriais, como idade materna, gestação múltipla, ou a predisposição ou o diagnóstico de uma patologia que favoreça a prematuridade, como pressão alta, diabetes, bolsa rota ou outras intercorrências clínicas ou obstétricas.

É possível prevenir a prematuridade? Existe algum tipo de tratamento? A prevenção da prematuridade é feita com pré-natal rigoroso que a acompanhe desde o início da gestação. Além disso, a mãe deve seguir todas as orientações médicas como uma dieta saudável e a prática de exercícios físicos.

As Unidades de Terapia Semi-Intensiva são aliadas na prevenção da prematuridade. Durante o pré-natal são identificadas as gestações de risco e nesses casos, as Semi-Intensivas são indicadas para postergar o nascimento do bebê. Nessas Unidades, uma equipe multidisciplinar coordenada pelo obstetra, monitora a gestante e o feto, na busca pelo melhor momento para o parto. Manter a gestante internada durante uma gravidez de risco é importante para ganhar mais tempo do feto no útero da mãe, o melhor lugar para o desenvolvimento do binômio. Um dia no útero equivale sete dias a menos na UTI Neonatal nos casos de prematuridade extrema.

O cuidado em casa, mesmo com repouso absoluto, pode parecer mais cômodo e melhor para a mãe e o bebê, mas pode ser arriscado. Os deslocamentos para exames e consultas podem ser estressantes e, algumas vezes, pouco eficientes diante do quadro clínico da gestante ou da condição do feto no momento da avaliação. A vigilância em tempo real é viável somente em ambiente hospitalar, onde há maior gama de recursos, com especialistas de variadas áreas e o melhor tratamento para as gestações de risco.

Previous Next