Relato: “Reconfortei minha mãe por chamada de vídeo enquanto ela morria no hospital”

Andrew Webb fez um relato de partir o coração após a perda, e descreveu os momentos em que passaram juntos durante um período tão difícil em família

Resumo da Notícia

  • A mãe de Andrew Webb sofreu um ataque cardíaco aos 75 anos
  • Ela começou a se sentir mal no dia em que iria comemorar os 50 anos de casada
  • O filho usou a tecnologia para se despedir da mãe no hospital
  • A família precisou ficar distante por causa da pandemia de coronavírus
Esse foi o último registro de Andrew conversando com a mãe no hospital (Foto: Andrew Webb / reprodução / BBC

Andrew Webb, produtor da BBC, não conseguiu visitar a mãe no hospital,que havia sofrido um infarto, por causa do novo coronavírus. Como maneira de passar um tempo com ela, o filho usou a tecnologia para ficarem juntos durante um momento tão difícil: o adeus.

-Publicidade-

“Algumas horas antes de minha mãe morrer, eu fiz uma chamada de vídeo para ela e a ouvi dizendo os nomes de suas pessoas mais próximas e amadas. Eu a acalmei por 15 minutos e conversei com ela enquanto adormecia. Eu senti que ela nunca mais acordaria”, desabafou.

Tudo aconteceu quando Andrew e a família iam celebrar os 50 anos de casamento dos pais, no Reino Unido. “Minha mãe teve um ataque cardíaco no dia em que iríamos celebrar os 50 anos de casamento de meus pais. Eu e meu irmão, Laurence, já havíamos conversado sobre os riscos de saúde para nossos pais e cancelamos o almoço comemorativo duas semanas antes do início das medidas de distanciamento social”. O evento nunca chegou a acontecer.

-Publicidade-
Ela sofreu um ataque cardíaco no dia em que ia comemorar 50 anos de casada (Foto: Andrew Webb / reprodução / BBC

Quando se sentiu mal, o pai de Andrew correu para o hospital com a esposa: “Nas semanas seguintes, ela não conseguiu comer sem vomitar, perdeu força e acabou morrendo durante a pandemia, depois que seu intestino se rompeu novamente”, lamentou à BBC.

No início da pandemia, Andrew disse que o pai visitava a mãe, mas depois que a legislação mudou, isso não foi mais possível. “Para falar com ela, usamos as chamadas de vídeo do WhatsApp no celular, com meu pai ao lado dela, segurando o telefone para que ela pudesse nos ver. Com a saúde deteriorada, minha mãe não conseguia atender um telefonema sem auxílio, então precisávamos ligar para o hospital e pedir para os profissionais de enfermagem atenderem a chamada que fazíamos para o celular que meu pai deixara ali”.

Após ser transferida para o isolamento, com suspeita de coronavírus, tudo mudou. “Minha mãe viveu mais alguns dias, cada vez mais fraca”. Um dia, durante uma chamada, a família sabia que aquele seria o adeus: “Por vídeo, minha mãe conseguiu se despedir de mim, de meu irmão e de seus netos, incluindo minha filha de seis anos que vive nos Estados Unidos. Sem smartphones modernos, isso teria sido impossível. Meu pai disse adeus à sua companhia de cinco décadas via telefone, ainda que estivessem a 30 km um do outro”.

Andrew falou sobre a importância de ter conseguido se despedir da mãe (Foto: Andrew Webb / reprodução / BBC

Durante o funeral, Andrew contou ainda que a família participou a distância: “Não havia vídeo no crematório, então meu irmão e meu sobrinho usaram o aplicativo Zoom em seus celulares para transmitir o funeral para mim e meus amigos. Eu gravei e compartilhei com outros familiares que não puderam assistir à cerimônia naquele momento”.

“A tecnologia me ajudou a iniciar o processo de luto de minha mãe, que morreu em 31 de março de 2020, aos 75 anos. Ela não havia contraído coronavírus”, concluiu.

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!

-Publicidade-