Pais

1 em cada 4 pais sofre de depressão após o nascimento de seu filho

A depressão nos pais é um problema cada vez mais comum

Logo-Parents (1)
Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

worried-father-and-baby-crying-picture-id828499068

(Foto: iStock)

Um relatório no Journal of the American Medical Association descobriu que 10% dos homens de todo mundo apresentavam sinais de depressão, muitas vezes referido como depressão pós-parto (PPPD), desde o primeiro trimestre da gravidez de sua esposa até seis meses após a criança ter nascido. O impressionante é que esse é mais do dobro da taxa de depressão comuns nos homens, de acordo com James F. Paulson, autor principal da pesquisa.

Quando os homens começam a se sentir ansiosos, vazios ou fora de controle, eles não entendem e não pedem ajuda, então sofrem de uma depressão silenciosa. Já as mulheres tendem a compartilhar histórias e estratégias durante a gravidez e a vida como mãe. Os especialistas acreditam que a depressão pós-parto nos homens pode ser mais prevalente agora porque esta geração de pais está sentindo os mesmos estresses psicológicos, sociais e econômicos que algumas mães experimentaram há muito tempo.

A depressão nos homens geralmente se manifesta de forma diferente da das mulheres. Os homens podem sentir-se inúteis, perder o interesse pelo sexo ou atividades que costumavam trazer alegria, se envolver em comportamentos tão arriscados como abuso de álcool ou drogas, jogos de azar ou assuntos extraconjugais e passar mais tempo que o normal no trabalho.

Coloque na cabeça que esse é um problema familiar, que vocês devem enfrentar juntos. Vá atrás de uma ajuda profissional e procure grupos de suporte e sites que forneçam fatos sobre PPPD e atuam como um fórum online onde os homens podem compartilhar seus sentimentos.

Leia também:

Pais, vocês dão conta do recado, sim!

Ser pai é: “não precisar de fórmulas secretas e ter uma coisa: o amor de seu filho”

Depressão pós-parto é mais comum em mães adolescentes, diz pesquisa

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não