Pais

Comissária de bordo dá bronca em mãe de bebê que chorava em voo de classe executiva

"Bebês não podem chorar por mais de cinco minutos nessa classe", disparou a funcionária

Nathália Martins

Nathália Martins ,Filha de Sueli e Josias

 

aviao_gravida_619

Krupa Patel Bala, mãe de um bebê de 8 meses, estava viajando de classe executiva com a família em um voo da United Airlines de Sydney para São Francisco quando o seu filho começou a chorar. Ok. A gente sabe que o som do choro de um bebê não é dos mais agradáveis, mas em alguns momentos você só precisa suportar. Infelizmente não foi bem assim que a companhia aérea reagiu.

A mãe compartilhou todo o acontecido no Facebook e disse que, enquanto o casal tentava acalmar o bebê, uma comissária de bordo se aproximou e gritou: “Isso é absolutamente inaceitável”. Ela tentou explicar como também estava frustrada com a situação: “Eu gentilmente tentei falar que o pedido dela me estressou. Ele tem apenas 8 meses e são 13 horas de voo. Ele vai chorar de novo e não sou eu que controlo isso”.

Nesse momento a atendente pediu para que elas discutissem o assunto na classe econômica. Foi aí que as coisas tomaram um rumo ruim. “Algumas companhias aéreas nem permitem bebês na classe executiva. A United permite, mas o bebê precisa ficar quieto”, explicou a comissária.

Já dá para imaginar o quanto essa mãe já estava irritada, não é mesmo? Mas a funcionária resolveu piorar ainda mais.  “O bebê pode chorar, mas não por mais de 5 minutos. Porque isso estressa a equipe”, explicou. Rindo de forma irônica, Krupa pediu para ver o livro de regras da companhia, mas essa regra claramente não existia.

Ela complementou no desabafo que depois de todo o nervoso, o capitão e o piloto pediram desculpas. Além disso, foi oferecido um reembolso para o casal. “Pelo que entendi, a United está lidando com a situação e garantindo que ninguém mais tenha uma experiência como a nossa em que uma comissária de bordo crie suas próprias regras”, finalizou a mãe.

Leia também:

Entenda porque não é recomendado viajar de avião no último trimestre da gestação