Pais

Antes tarde do que nunca: homem recorre a fertilização in vitro e vira pai aos 45 anos

Há 4 anos, ele não fazia de que pensaria em ter filhos

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: Arquivo Pessoal Tom Garden/Reprodução Today Parents)

(Foto: Arquivo Pessoal Tom Garden/Reprodução Today Parents)

Aos seus 48 anos, Tom Garden ocupou muitos cargos, de CEO de sua empresa familiar a soldado no exército israelense, mas ele diz que de todos os trabalhos, o mais desafiador e recompensador foi o seu papel mais recente: pai solteiro de um filho de dois anos e uma filha de três meses. Mas a paternidade quase não aconteceu para ele. “Eu estava preso com a minha empresa há 10 anos, então eu realmente nunca pensava em crianças e não tinha tempo para namorar ou fazer qualquer outra coisa”, explicou Tom ao TODAY Parents.

Depois que um primo apontou que o nome da família terminaria com Tom, ele decidiu ter uma discussão sobre fertilização in vitro (FIV) com sua mãe, que se ofereceu para ajudá-lo a encontrar uma clínica. Esse processo foi demorado – Garden é judeu e queria um doador de óvulos israelense, mas em junho de 2016, ele deu as boas-vindas ao primeiro filho, Joseph. “Eu fiquei petrificado no começo, acho que eu nunca tinha segurado uma criança antes”, disse o pai, que pediu a ajuda de uma doula durante os primeiros meses. Já o segundo filho de Garden, a Tayla, nasceu em março de 2018.

“A maioria dos homens solteiros têm uma mentalidade semelhante à de Garden, acreditando que é tarde demais para se tornarem pais ou pensando que sem uma parceira, a paternidade é impossível”, contou Thomas Molinaro, endocrinologista reprodutivo responsável pela FIV de Tom.

A cada ano, o Reproductive Medicine Associates of New Jersey, laboratório onde o Dr. Thomas trabalha, realiza entre 75 a 100 procedimentos de fertilizações in vitro. Desses, apenas cerca de 15% envolvem pacientes do sexo masculino sem parceiro do sexo feminino. “É importante divulgar que isso é algo que é possível para homens solteiros. Você não precisa ter um parceiro”, explica.

Ao ser questionado sobre como ele explicará para seus filhos sobre a maneira única que eles foram concebidos, a resposta de Tom é linda: “Eu vou ser honesto e dizer que eles foram trazidos para cá por amor. Talvez não tenha sido do jeito tradicional, mas eles estão aqui porque eu os amo e os queria”.

Leia também:

Fertilização in vitro cresceu 149% nos últimos cinco anos no Brasil

Fertilização in vitro com estimulação mínima

Pai solteiro abandonado pela esposa faz depoimento emocionante sobre sua experiência