Família

Filho de homem desaparecido em Brumadinho faz vaquinha para tentar chegar à cidade

O pai de Ismael é um das 292 pessoas que ainda não foram localizadas

Emily Santos

Emily Santos ,filha de Maria Teresa e Francisco

Ismael Bispo tenta chegar a Brumadinho para acompanhar as buscas pelos desaparecidos (foto: Arquivo Pessoal/Reprodução UOL)

Ismael Bispo, de 23 anos, é filho de um dos 292 desaparecidos na tragédia de Brumadinho (MG), que aconteceu na última sexta-feira (25). Desesperado e sem notícias do pai, o técnico em logística está fazendo uma vaquinha para ir de sua cidade natal Santo Amaro da Purificação, que fica a 75 km de Salvador, até a cidade mineira para acompanhar as buscas.

O pai de Ismael, Ademário Bispo, de 51 anos, é funcionário da Reframax Engenharia, empresa terceirizado que presta serviços para a Vale. Inicialmente, o filho da vítima conseguiu entrar em contato com um representante da Reframax, e a empresa tinha se comprometido a arcar com a ida de Ismael até Brumadinho, mas o homem não responde mais às tentativas de contato.

O irmão mais novo de Ismael, Natan Nael, de 21 anos, morava com o pai em Mário Campos, a 14 km de Brumadinho, e está no local acompanhando as buscas das equipes de regate. No entanto, o mais velho tem urgência de chegar à Minas.

Imagem aérea da lama resultada do rompimento da barragem (Foto: Polícia Militar de Minas Gerais / Divulgação)

“Está todo mundo angustiado lá em casa. Estamos sem conseguir dormir. A prefeitura de nossa cidade pediu pra gente esperar até amanhã [segunda-feira], mas a dor da família não espera”, desabafou em entrevista ao portal UOL Notícias.

Ismael contou ainda que havia descoberto pelo irmão que a Reframax tinha enviado um representante até o local que informou que uma passagem seria disponibilizada para um familiar de cada vítima do rompimento da barragem. “Tem gente que não pode viajar sozinha. Isso é um absurdo“, reclamou ele.

De acordo com as últimas informações da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Policia Civil, 192 pessoas foram resgatadas no local atingido pela tragédia, 382 foram localizadas, 292 pessoas estão desaparecidas, 60 óbitos foram confirmados e 19 corpos foram identificados.

Leia também:

Brumadinho: voluntários ajudam famílias desabrigadas depois do rompimento de barragem

Casos de febre amarela em Minas Gerais podem estar relacionados à tragédia de Mariana

Ziraldo: “Eu costumava nadar todos os dias no Rio Doce”