Pais

Mãe explica por que é importante deixar os filhos errarem

Jessica Nazario desabafou ao dizer que essa é uma das coisas mais difíceis da maternidade

Isabella Zacharias

Isabella Zacharias ,Filha de Aldenisa e Carlos

Jessica explica porque deixa os filhos errarem (Foto: Getty Images)

Jessica Nazario contou ao Popsugar que um dos maiores desafios da maternidade é ver seus filhos se machucarem ou ficarem desanimados.

“Um dia, meu filho mais velho decidiu tentar entrar para um time de basquete. Ele não é um jogador muito habilidoso, mas nós acreditamos que, quanto mais testes ele fizesse, mais preparado ele estaria”, ela relembrou.

Porém, o filho de Jessica não passou na seleção. Ela ficou muito nervosa ao ter que dar a notícia para o filho, imaginando qual seria a reação dele. A mãe decidiu que seria melhor que o pai desse a notícia para o menino, que respondeu com um simples “tudo bem”.

“Não pude deixar de perguntar pra ele se ele não estava decepcionado. Mas ele me disse: claro que estou, mas eu não passo muito tempo jogando basquete. Vou praticar e tentar novamente no ano que vem”, explicou.

Jessica sabe que, como mãe, ela quer o melhor para os filhos. “Nós queremos que as oportunidades apareçam para eles. Queremos que eles sejam bem-sucedidos e felizes. Queremos que eles experimentem apenas coisas boas da vida. Mas a superproteção pode causar muitos danos: nenhuma criança realmente quer que os pais interfiram em suas vidas”, desabafa a mãe.

Pensando nisso, ela fez uma lista de coisas para se lembrar de como é importante deixar seus filhos errarem.

1. Os erros te ajudam a aprender sobre si mesmo
Não importa o que seja, é muito importante descobrir o que funciona e o que não funciona para você.

2. Todo mundo é diferente
“Eu quero que meus filhos acreditem neles mesmos. Eles têm talentos diferentes, objetivos diferentes e ideias diferentes das minhas”, ela diz.

3. Fazer coisas difíceis significa que nem tudo será fácil
Jessica explica que sempre encoraja seus filhos a fazer o que eles quiserem e irem atrás dos próprios sonhos. “Quero que eles entendam que existe um processo por trás disso e que nada será fácil e eles precisam entender isso”, explica.

4. Falhar não é grave
Os erros fazem parte da experiência humana. Eles são aceitáveis e não são o fim do mundo.

Jessica afirma que ainda está tentando deixar os filhos aprenderem com os próprios erros. “É muito difícil vê-los decepcionados, mas acredito que isso os tornará fortes ao longo dos anos. Não quero tirar essas experiências deles porque elas podem torná-los pessoas melhores”, conclui.

Leia também:

Mãe fala sobre julgamentos por ter sido mãe depois dos 40 anos: “Decidi que não ficaria envergonhada”

Relato de mãe: “Parei de sentir pena de mim quando eu digo que minha filha é autista”

Mãe fala da importância de acompanhar de perto a alimentação do filho