Pais

“Me tornei pai solo aos 20 anos e isso mudou minha vida”

Vem conhecer a família Noris

Jennifer Detlinger

Jennifer Detlinger ,Filha de Lucila e Paulo

(Foto: Bruno Marcal)

(Foto: Bruno Marcal)

Existem diversas formas de ser pai. O exercício da paternidade está longe de ser apenas uma função. Por trás do título, existem pessoas que dão essência e vida ao nome, cada uma do seu jeito. Tem pai que gera, que cria, que cuida, que acolhe e ajuda. Rafael Noris, de 28 anos, cumpre tudo isso ao lado de Miguel Angelo, seu filho de 8 anos. Ele viveu aflições comuns de pais de primeira viagem, desde não saber como limpar o bumbum do bebê até o medo de acidentes. Hoje, as preocupações ainda existem, mas a cumplicidade entre os dois faz tudo ficar mais fácil.

Chegamos á casa da família Noris em uma manhã de sexta-feira, às 9h, e fomos recebidos com um sorriso tímido de Miguel, que revela muito bem sua personalidade – uma criança amorosa e educada da melhor forma. Não precisou de muito tempo por lá para percebermos que a relação da dupla vai além de pai e filho. Apesar das nítidas semelhanças físicas, como a pele e os olhos claros, e os cabelos compridos e lisos, Miguel e Rafael também se espelham um no outro e compartilham as mesmas paixões: livros, videogames e gibis.

Rafael conta que se tornou pai “no susto”. Ele estava no último ano da faculdade no curso de Publicidade e namorava há apenas um ano e meio com a mãe de Miguel. “Uma gravidez não planejada, mas que depois foi muito bem-vinda”, afirma Rafael. Depois do nascimento do filho, moraram juntos por seis meses em Campinas, interior de São Paulo, longe das famílias. Foi nesta época que o casal se separou e decidiu que Miguel ficaria com Rafael, já que sua família tinha uma estrutura melhor a oferecer, enquanto a mãe do menino foi viver em outro estado.

Dos seis meses a um ano e meio de idade, Miguel morou com os avós, José Carlos e Filomena, em Pedreira, no interior de São Paulo, e Rafael visitava o filho todos os fins de semana. Depois de um tempo, ele conseguiu juntar dinheiro para comprar uma moto e passou a morar em Pedreira também, mantendo o emprego em Campinas.

No início de 2016, Rafael se mudou sozinho com o Miguel para cidade, quando o menino tinha cinco anos e meio. “Durante cinco anos meus pais me ajudaram na tarefa de cuidar do meu filho, mas decidi criar ele do meu jeito, ter minha própria casa e fazer tudo da maneira que acredito ser melhor”, explica.