Pais

Paixão pela gastronomia e chegada do filho fazem mãe criar um negócio próprio

Hoje, ela faz os próprios horários

Yulia Serra

Yulia Serra ,filha de Suzimar e Leopoldo

Como o trabalho não fazia mais sentido, ela partiu para o empreendedorismo (Foto: reprodução/Arquivo Pessoal)

Bianca Queres descobriu a sua paixão pela gastronomia cedo, mas demorou alguns anos e a chegada de três filhos para que ela encontrasse o seu lugar dentro da profissão. Conheça essa história

“Nasci no meio de grandes cozinheiras, acordava com cheiro de bolo quase todos os dias. Minha mãe e minhas tias tinham um Buffet de sucesso na região. Mas fui crescendo e vendo que aqueles alimentos não eram saudáveis, apesar de acharem gostosos. 

Quando cresci, queria me dedicar à gastronomia, porém não tinha esse curso no Rio. Então fiz Nutrição e vi o quanto essa ciência é fundamental para a nossa vida

A paixão foi tanta, que consegui os melhores estágios da cidade e trabalhei com os melhores chefs. Estava muito feliz, mas ainda achava que os produtos poderiam ser mais gostosos e muito mais saudáveis. Comecei a pôr no papel um sonho: ter meu negócio.

Em paralelo à esse grande sonho, um desejo se realizava, a gravidez. Conciliei os dois até o meu primeiro filhote nascer. Quando o Raul veio e retornei ao trabalho, me senti uma extraterrestre na empresa

As pessoas me tratavam super bem, perguntavam muito sobre as novidades da maternidade, mas não me envolviam nos assuntos mais sérios que eu sempre batalhei para resolver de forma extraordinária. Por isso, acabei pedindo demissão.

Fiquei seis meses com o meu filhote, foi ótimo acompanhar de pertinho todo o seu desenvolvimento nesse período, mas bateu saudade da rotina de trabalho. Recebi um ótima proposta de emprego e aceitei. Tudo estava correndo super bem, até que poucos meses descubro estar grávida novamente.

Foi um grande susto, fiquei feliz e com medo da reação dos sócios da empresa. Mas para minha feliz surpresa, recebi muitos abraços e sorrisos. Levei a gravidez super bem, trabalhei muito até a 39ª semana e o Vicente chegou. Ficamos juntos por 5 meses e voltei com gás total

Fui muito bem recebida, ouvi muito sobre a falta que fiz e me dediquei muito mais a tudo que podia. Exatamente um ano depois, descubro estar grávida da Maria Alice. Mesmo demandando mais, trabalhava feliz da vida e tinha grande valorização na empresa.

Porém o retorno da licença não foi tão fácil, notei que meus filhotes estavam crescendo e precisando de atenção de mãe, a Maria precisava de mais cuidados com a sua alimentação e eu já estava no limite da maturidade no trabalho, já não via os desafios com tanta paixão.

Resolvi então pedir demissão e seguir com o meu velho sonho de ter um negócio. Os sócios e gestores foram tão generosos que sai dali como fornecedora deles, meu primeiro cliente. 

Hoje, trabalho terceirizando receitas de chefs para seus restaurantes e tenho o site Chiquita Bacana. Receitas que podem ser pré preparadas e finalizadas por eles. Estou feliz com meu trabalho. Trabalho muito mais, mas no meu tempo

Posso levar as crianças para a escola todos os dias, posso ficar em casa quando estão doentes, posso me organizar com férias e posso dar e receber a atenção que merecemos.”

Empreender foi o caminho que Bianca encontrou para se realizar. Se você passou pela mesma situação, participe do projeto Nascer de Novo, nossa parceria com a Brascol para valorizar as mães que criaram um negócio próprio.

Leia também:

Rede de apoio materna fortalece mãe de primeira viagem e se torna projeto de vida

Mãe cria loja para ajudar as crianças na introdução alimentar e faz sucesso na rede social

Brincadeira vira coisa séria e mãe cria negócio próprio para incentivar a criatividade das crianças