Criança

4 maneiras de ensinar seu filho a não esconder as emoções

E você deve ser a maior confidente dele

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Relação mãe e filha (Foto: Getty Images)

Desde pequeno as crianças aprendem a demonstrar o que estão sentindo. Já que não podem falar, usam o choro ou os sorrisos para expor isso, com o tempo, começam a aprender outras formas de verbalizar.

Por exemplo, com uma brincadeira, um desenho, mas é normal ter certa dificuldade. Se nós, adultos, as vezes não entendemos o que se passa pela nossa cabeça, imagina os pequenos!

Por isso, o papel dos pais é tentar ajudar os filhos a entender o mix de sentimentos que as vezes temos. É essencial explicar que está tudo bem chorar ou ter uma crise de riso e deixar claro que isso é necessário, guardar tudo para si não faz bem. Separamos algumas dicas que podem ajudar tanto você, quanto os pequenos:

Ensinar a colocar o que sente para fora é um momento de cuidar do futuro do seu filho (Foto: Getty Images)

1. Ouça seu filho com atenção: 

Não menospreze os sentimentos dele para que eles entendam que aquilo que estão sentindo é importante. Por mais simples que pareça, leve a sério e mostre interesse. Isso vai gerar uma relação de confiança e ajudará muito. Procure escuta-lo com empatia, se colocando no lugar, imaginando como ele está sentindo.

2. Tenha conversas sobre o assunto

Não trate os sentimentos como pauta de conversa só quando ele estiver triste, é importante tratar o assunto sempre para que se torne algo natural. Use exemplos que já aconteceram para lembrar que esses momentos existem e que a vida é feita de altos e baixos.

3. Não diga as crianças o que elas devem sentir 

O objetivo é que eles verbalizem que estão sentindo, mas a maneira que isso vai acontecer, deve vir deles. Eles precisam aprender a expressar esses sentimentos, e as vezes precisam da ajuda para entender uma coisa ou outra e é importante que eles sintam essa liberdade.

4. Ensine seu filho a expressar as emoções de maneira equilibrada

Os pequenos precisam entender que não há problema em sentir, mas que devem controlar como comportam essa emoção. Por isso, os limites são importantes. Por exemplo, se ele está muito triste porque não ganhou o brinquedo. Tudo bem, mas não pode espernear no meio da loja. Ele deve saber conversar, pedir e controlar o mix de emoções.

Leia também:

Estudo revela que crianças sensíveis se tornam adultos ligados às emoções dos outros

Montanha-russa de emoções

Amigo é tudo! Saiba como a amizade ajuda no desenvolvimento do seu filho