Criança

Agora Awards: prêmio de melhor foto do ano mostra crianças na luta pela liberdade

"Songs of Freedom" recebeu mais de 500.000 votos

Cinthia Jardim

Cinthia Jardim ,filha de Luzinete e Marco

Michael irá investir o dinheiro do prêmio em equipamentos (Foto: reprodução / Instagram)

A premiação Agora Awards 2019, realizada pelo aplicativo de fotografia da Agora, recebeu mais de 130.000 inscrições, de 193 países, na quarta-feira, 6 de novembro. A imagem mais votada foi a foto “Songs of Freedom” do fotógrafo gânes, Michael Aboya.

Com mais de 500.000 votos, a imagem foi eleita a “Melhor Foto do Ano”, vencendo a competição e premiando o artista autodidata com 25 mil dólares. O cenário traz a representação alegre e otimista, que tem o intuito de inspirar a maneira de como as pessoas enxergam Gana e o continente africano.

Em entrevista ao Bored Panda, Michael explicou: “Acredito que quando o BIPOC (negros e indígenas de cor) conta suas próprias histórias, eles podem apresentar o país e o continente de maneira diferente para o mundo, mostrando amor, paz e harmonia e tornando o lado positivo um pouco mais, colocando o lado escuro atrás dele. Criei esta imagem para enfatizar o fato de que temos o poder de nos libertar de qualquer forma de cativeiro mental, físico, espiritual e emocional”.

O fotógrafo pediu para um amigo ensinar o básico de violino para as crianças (Foto: reprodução / Instagram)

A ideia de “Songs of Freedom” surgiu quando ele estava ouvindo Bob Marley em casa. No momento em que”Redemption Song” começou a tocar, ele decidiu poder dar vida à música a partir das lentes de uma câmera. A criação de todo cenário vai muito além de uma foto, resultando na luta pela liberdade e também através do violino, que Michael descreve como “um instrumento da alma”.

O CEO e cofundador da Agora, Octavi Royo, também falou sobre a fotografia: “Songs Of Freedom é uma imagem impressionante, com fortes contrastes e uma composição inteligente. Uma criança africana em topless toca violino sob um céu largo que indica um nascer ou um pôr do sol; o começo ou o fim de uma era. Atrás dele, há mais quatro crianças com o punho levantado e os olhos fechados, apreciando a melodia tocada pelo companheiro. Uma melodia que soa como a conquista de um futuro justo, que exala intelectualidade, pacifismo, esforço e dignidade. É uma imagem cheia de símbolos que declaram que a África está acordada e será protagonista de um futuro promissor. Para mim, Sounds of Freedom é um manifesto visual inteligente de uma realidade atual e, ao mesmo tempo, uma mensagem otimista e digna sobre o futuro”.

Por trás das câmeras

As fotos foram feitas em um dos bairros mais antigos de Gana, em Labadi, localizado na parte costeira de Accra, na capital do país. As crianças da imagem são de famílias locais de pescadores, que moram em uma praia, e serviram de inspiração para o fotógrafo. Ele levou um amigo, para que pudesse ensinar o básico de violino para os meninos. Um dos garotos, que tinha uma expressão forte, foi o destaque da imagem.

“Apenas um dia antes das filmagens, conheci Rockson, um amigo que fiz na plataforma Agora que visitou Gana, seu país natal. Surpreendentemente, ele trouxe seu próprio violino com ele, então pedi que o trouxesse no dia seguinte para uma sessão que eu havia planejado. Chegamos a Labadi no dia seguinte, onde conhecemos os 5 jovens garotos incríveis. Para obter a imagem o mais real e natural possível, sem perder o aspecto mais importante de quem realmente são, pedi ao meu amigo que ensinasse o básico sobre como segurar o violino, as posições perfeitas das mãos e vi que um dos os meninos tinham a expressão mais forte com o violino, o que estava perfeitamente alinhado com a minha visão para a fotografia”, concluiu Michael.

Sobre o fotógrafo

Ele é autodidata (Foto: reprodução / Bored Panda)

Michael Aboya é um fotógrafo de 24 anos, autodidata, que mora atualmente em Gana. Ele nasceu e foi criado na Nigéria até os 13 anos e depois se mudou para a terra natal do pai. A paixão pela fotográfia surgiu em 2014, enquanto ele estudava programação de software. Após a morte do pai, ele percebeu que a vida era muito curta e que queria gastar com algo que realmente gostava, tornando-se assim, fotógrafo.

Ele juntou todas as economias que tinha para ir atrás do sonho e comprou a primeira câmera profissional. “Depois que comprei minha primeira câmera, o próximo passo foi ingressar em uma escola de fotografia, mas as taxas tornaram isso impossível. Por isso, investi muito tempo lendo sobre fotografia e assistindo a vídeos do YouTube sobre como os fotógrafos profissionais filmavam e usavam diferentes tipos de iluminação para sua vantagem. Eu saía com minha câmera para praticar filmando qualquer coisa que eu achasse interessante e depois voltava para casa e fazia algumas edições. Continuei fazendo isso várias vezes até gradualmente começar a ficar bom nisso”. Com o prêmio do concurso, Michael planeja investir em mais equipamentos, aprender videografia e viajar pela África.

Leia também:

Fotógrafo registra momento (fofíssimo!) de esquilo cheirando flores e imagens viralizam na internet

Mãe se encontra na fotografia após o nascimento dos filhos e cria o próprio negócio

Dia Mundial da Fotografia com Ike Levy e sua família