Criança

Boneca pega fogo e menina de 2 anos tem queimaduras de 3º grau

A mãe correu para o hospital logo em seguida

Rhaisa Trombini

Rhaisa Trombini ,Edileyne e Geraldo

Rosie estava tentando apagar o fogo do boneco da irmã (Foto: Reprodução/ The Sun – South West News Service)

Menina de 2 anos ficou com queimaduras de 3° grau depois que uma vela colocou fogo na boneca da Minnie Mouse de sua irmã gêmea. Rosie-Faye Yeadon pegou a boneca para tentar apagar o fogo quando sua mãe não estava no quarto, mas acabou com grandes queimaduras na mão e no braço.

Segundo a mãe, Boe Mitchell, de 29 anos, explicou ao The Sun, ela saiu do quarto por 2 minutos e voltou correndo quando ouviu a menina e a irmã, Poppy-Mai Yeadon, gritando desesperadas.

Quando a mãe chegou no quarto, o braço de Rosie estava todo queimado e com fumaça saindo dele. Ela correu para a cozinha, jogou água gelada, as logo depois a família correu para o hospital. A menina foi tratada com morfina, pois estava sentindo muita dor.

A recuperação é lenta (Foto: Reprodução/ The Sun – South West News Service)

A mãe disse que nunca deixa velas espalhadas pela casa, mas ela acendeu uma apenas para deixar o ar mais cheiroso e não imaginava que aquilo pudesse acontecer. “Eu nunca tenho velas na casa quando as crianças estão dentro, mas eu não estava pensando. Foi uma experiência absolutamente terrível e traumática, nunca vou esquecer isso.”

O irmão do meio das meninas, Ayden, de 9 anos, precisou fazer terapia, pois se culpou de não estar junto com a irmã para protege-la.

Rosei está se recuperando (Foto: Reprodução/ The Sun – South West News Service)

Agora, Boe está arrecadando fundos para o hospital Pinderfields Hospital, em Wakefield, West Yorks, ajudando a aumentar os alertas sobre queimaduras e como lidar com fogo de forma segura. Rosie está se recuperando lentamente das queimaduras.

Leia também:

Sempre alerta: mangueira de jardim causa queimaduras de segundo grau em bebê

Como lidar com as queimaduras do sol? Nosso pediatra tira as suas dúvidas

De olho no seu filho: acidentes domésticos aumentam 25% durante as férias