Família

Entenda porquê esses irmãos terão de ser separados após mãe matar pai

Os avós paternos estão na briga judicial pela guarda deles

Marina Paschoal

Marina Paschoal ,Filha de Selma e Antônio Jorge

(Foto: Reprodução / G1 / BBC)

Essa história começou quando Michael Simpson, um britânico que trabalhava em uma empresa multinacional, foi morar a trabalho na China conheceu e casou com a chinesa Weiwei Fu. As crianças, Jack, de 8 anos, e Alice, de 6, são fruto do casamento deles que, depois de alguns anos acabou.

Segundo um inquérito, a mulher esfaqueou Michael até a morte durante uma “discussão acalorada” sobre o divórcio bastante difícil. O caso aconteceu no apartamento da família em Xangai e outra mulher que também estava no local foi ferida. Segundo informações da BBC o casal já vivia em casas separadas há um ano, mas Weiwei não aceitava a separação. As crianças passavam mais tempo com o pai.

Enquanto a mãe cumpre prisão perpétua, os avós paternos brigam na justiça pela guarda das crianças. Mas essa luta não tem sido fácil. Segundo a reportagem, os juízes da China estavam “pressionando muito” para que eles aceitassem um acordo que prevê a separação de Jack e Alice. Depois de dois anos de batalha, eles aceitaram o acordo para levar a menina para o Reino Unido com eles, o que significa que o menino deve ficar com os avós maternos em uma cidade da China. “Perder Michael deixou um buraco na nossa família. Se tirassem as crianças de nós também é como se destruíssem a família inteira”, Ian, o avô disse à BBC.

Ian, o avô, com Jack, de 8 anos (Foto: Reprodução / G1 / BBC)

Além disso, o casal também concordou em pagar o valor de 10 mil libras (algo como R$ 49 mil) como compensação financeira para a família materna. “Nós não tínhamos muitas opções. A família nos deixou  vê-los uma vez em 21 meses  que ficamos na China”, eles disseram. “Não podemos ligar para eles, enviar presentes, mandar cartões… Eles não falam com a gente”, desabafaram.

(Foto: Reprodução / G1 / BBC)

Eles chegaram a oferecer dinheiro e o que chamam de “perdão oficial”, que reduziria a condenação de Weiwei, mas mesmo assim, não houve acordo.

Leia também

Divórcio na gravidez: “decidi, quando dei à luz ao meu filho, que não seria uma vítima”

14 sinais de que você está pronta para namorar após o divórcio

Pai faz relato emocionante sobre conviver em paz com a ex após o divórcio pelo bem da filha