Gravidez

Essa mãe perdeu o bebê depois de ser mandada de volta para casa 5 vezes (isso mesmo, 5)

Os médicos diziam que ainda não estava na hora

Rhaisa Trombini

Rhaisa Trombini ,Edileyne e Geraldo

Era a terceira filha de Karolayne (Foto: Reprodução/ Patrick Marques/G1 AM)

Karolayne Coelho Neves, de 21 anos, mora na Zona Norte de Manaus e tem duas filhas. Ela estava grávida de sua terceira menina, mas uma tragédia aconteceu.

A mãe acusa a maternidade de negligência médica que levou sua filha a óbito antes de nascer. Karolayne foi ao médico 5 vezes apresentando todos os sinais de que o bebê estava para nascer, mas os médicos diziam que ainda não estava na hora e mandavam ela de volta para casa.

Segundo o relato gravado pelo G1, a primeira ida de mãe à maternidade foi no dia 30. Ela já sabia que ia realizar uma cesária, mas segundo os médico o colo do útero ainda não estava dilatado, impedindo a realização da cirurgia.

A mãe acredita que isso aconteceu por negligência médica (Foto: Reprodução/ Patrick Marques/G1 AM)

Karolayne retornou ao hospital nos dias 02,03 e 04. Ela era tranquilizada pelos médicos dizendo que tudo estava bem, que o coração do bebê estava batendo normalmente, mesmo que ela insistisse dizendo que estava perdendo líquido.

No sábado, dia 05, ela foi novamente ao hospital, mas dessa vez o ultrassom revelou que o coração da menina não estava mais batendo, confirmando a morte do bebê dentro da mãe.

Em nota, a Secretaria de Saúde do Amazonas (Susam) informou que deve abrir um procedimento administrativo para checar a conduta dos médicos responsáveis.

Agora, Karolayne procura justiça. “Sei que nada vai trazer ela de volta, mas quero que algo seja feito para nenhuma mãe sentir o que eu to sentindo. A dor é muito grande.”

Leia também:

Mulher da à luz na porta do hospital por falta de atendimento médico e acontece o pior

Absurdo! Bebê de 2 meses morre após ter diagnóstico errado e ser enviada para casa

Pais que não vacinam são responsáveis pelo maior surto de catapora em Estado americano, mostra investigação