Família

Essa mulher largou tudo para embarcar na aventura de empreender com a própria mãe

Ela deixou a carreira de educadora física para abrir uma marca de roupas infantis. Conheça essa história

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

pc

(Conectando os pontos – Por Kuki Bailly)

Lidia Demarchi é mãe de Arthur e educadora física. Há 2 anos, ela resolveu largar tudo e embarcar na aventura de ser sócia da própria mãe em uma marca de roupas infantis.

Me formei em educação física e desde 2002 me dediquei à minha carreira – o que inclui pós-graduação e mestrados, um emendado no outro – por mais de 10 anos. Em 2014, quando engravidei, trabalhava em uma rede de franquias e foi depois que Arthur nasceu que meus objetivos de vida começaram a mudar. Eu não queria mais aquela vida corrida de trabalho, trânsito e estresse. Eu tinha um bebê em casa e queria ficar com ele, acompanhá-lo.

Foi durante o primeiro ano de vida dele que eu, no meio dessa rotina louca de trabalho, tive a noção de que eu não estava curtindo e nem ficando perto dele o quanto gostaria. E eu percebi que o tempo estava passando muito rápido, até demais. Arthur estava crescendo, se desenvolvendo, avançando e eu estava perdendo tudo isso. Como vocês podem perceber, eu não estava feliz. E foi então que pedi demissão. Ufa, que alívio.

Mas, ao mesmo tempo, vieram os receios, os medos e os questionamentos (quem nunca, não é?). Eu, que era independente financeiramente desde os 16 anos, imaginava como seria o meu futuro. Pensamentos como “o que eu vou fazer agora?”, não saíam da minha cabeça. Porém, a resposta para tudo isso era uma só: eu queria acompanhar o Arthur, ver seu crescimento e desenvolvimento a cada dia e etapa.

Depois de alguns meses de dedicação total à família, conversei com Ronaldo, meu marido, sobre a ideia de empreender e ele me deu total apoio, o que foi fundamental para que eu encarasse esse desafio. Para ser sincera, acho que isso está no sangue da família. Minha mãe, Fátima, o faz até hoje, há quase 50 anos. Ela atua na área de alta costura e, para a minha sorte, topou ser minha sócia. E foi assim, aproveitando o que ela sabe fazer de melhor, que decidimos confeccionar juntas e artesanalmente roupas infantis.

E desse encontro de mãe e filha nasceu a Molekito, pensada e feita com muito amor. Uma das nossas linhas que faz o maior sucesso é a ‘tal pai, tal filho’, que, como o próprio nome diz, oferece roupas similares para pais e filhos. Um charme. Em setembro completamos o primeiro ano de Molekito e estou superfeliz com a minha decisão. Feliz por acompanhar meu filho, por poder levá-lo e buscá-lo diariamente na escola, por estar com a minha mãe todas as tardes e ter alcançado novamente a minha
independência financeira – que sempre foi tão importante pra mim. Sonhos ainda tenho, claro – e muitos. E vou conquistá-los, um a um.

Leia também:

Mãe larga tudo para ficar com os filhos: “Posso crescer e me expandir”

Após ser demitida, ela se reinventou e criou um marketplace de produtos e serviços

Relato de mãe: “Viemos sem cama, mesa, um real no bolso e com um bebê na barriga”