Família

Gêmeas brasileiras que nasceram grudadas pela cabeça têm recuperação surpreendente

“A felicidade é muito grande", contou o pai das meninas

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Pais celebram o sucesso da separação das filhas(Foto: Divulgação/HC de Ribeirão Preto)

Pais celebram o sucesso da cirurgia de separação das filhas (Foto: Divulgação/HC de Ribeirão Preto)

Maria Ysabelle e Maria Ysadora são irmãs gêmeas que nasceram grudadas pela cabeça e assim permaneceram até o dia 27 de outubro, quando uma cirurgiaaté então inédita no Brasil, foi feita para separar as irmãs de 2 anos. 

Foi um ano de idas e vindas do Hospital das Clínicas em Ribeirão Preto (SP), que mudou o rumo da vida das crianças, de seus pais e dos médicos envolvidos no caso das gêmeas. 

No total, foram cinco cirurgias de fevereiro a outubro que resultou na última e satisfatória cirurgia de separação das irmãs. 

Na saída do hospital no último dia 7, a equipe médica se emocionou. Em entrevista à equipe do G1 da região, Maristela Bergamo, pediatra responsável por acompanhar o tratamento de Ysabelle e Ysadora disse vai sentir muita saudade. “Depois de tanto tempo, quase todos os dias pensando nelas, trabalhando por elas, então a gente vai sentir muita falta sim”, disse. 

Mãe e médica comemoram o sucesso da cirurgia de separação das irmãs. (Foto: Divulgação/HC de Ribeirão Preto)

Mãe e médica comemoram o sucesso da cirurgia de separação das irmãs. (Foto: Divulgação/HC de Ribeirão Preto)

Para os pais Diego e Débora Freitas, a despedida foi um momento de imensa alegria, já que significava a primeira experiência das crianças separadas fora do hospital. “Só o que eu passei, agora posso dizer que estou aliviada. Minha luta não foi em vão. Esperei 2 anos e 5 meses para sair de carrinho com elas e isso é especial”, contou a mãe. 

Equipe médica com irmãs no momento da alta hospitalar. (Foto: Divulgação/HC de Ribeirão Preto)

Equipe médica com irmãs no momento da alta hospitalar. (Foto: Divulgação/HC de Ribeirão Preto)

Por enquanto, a família permanece em Ribeirão Preto até o natal. Depois, as irmãs retornarão para Aquiraz, no Ceará, onde nasceram. “Na virada do ano a gente vai levar elas para conhecer a praia, que elas não conhecem ainda”, contou o pai. 

Em janeiro, Ysabelle e Ysadora retornam para Ribeirão Preto para começarem o tratamento de reabilitação que vai ajudar as meninas a ganhar força muscular e postura para andar e falar.  

Irmãs após recuperação da cirurgia de separação, no hospital. (Foto: Divulgação/HC de Ribeirão Preto)

Irmãs após recuperação da cirurgia de separação, no hospital. (Foto: Divulgação/HC de Ribeirão Preto)

A reabilitação deve durar cerca de um ano e depois disso os médicos esperam que as irmãs tenham vidas normais e livres de complicações.  

Leia também:

Gêmeas siamesas que tinham poucas chances fazem 4 anos e vão à escola!

Quadrigêmeos nascem empelicados e a foto impressiona