Bebês

Irmãos mais novos ensinam empatia para os mais velhos, defende estudo

A pesquisa analisou 452 famílias canadenses

Nathália Martins

Nathália Martins ,Filha de Sueli e Josias

Irmãos mais novos podem ensinar muito para os mais velhos (Foto: iStock)

Irmãos mais novos podem ensinar muito para os mais velhos (Foto: iStock)

Você provavelmente já sabe que o caçula da sua casa aprende bastante coisa com o irmão mais velho. Agora um estudo diz que na verdade o seu mais novo está ensinando algo muito importante para o mais velho.

Uma pesquisa publicada no Child Development sugere que as crianças mais novas podem realmente ensinar aos seus irmãos mais velhos uma coisa ou duas sobre empatia. Os cientistas avaliaram 452 pares de irmãos canadenses entre as idades de 18 meses e quatro anos de idade e fizeram algumas descobertas interessantes.

Depois de gravar a reação empática dos filhos mais velhos à eles fingindo estarem machucados ou quebrando algo importante, os pesquisadores retornaram a cada família um ano e meio depois e fizeram uma observação importante. Após o retorno, os pesquisadores notaram pequenos, mas significativos aumentos de empatia na maioria dos irmãos mais velhos.

O líder do estudo, Marc Jambon, explicou que, embora se assuma que irmãos mais velhos e pais sejam as principais influências no desenvolvimento de uma criança mais nova, este estudo mostra como os irmãos mais novos são influentes no desenvolvimento social e emocional de um irmão mais velho.

“Descobrimos que os irmãos mais jovens e mais velhos contribuíram positivamente para a empatia um do outro ao longo do tempo”, disse ele em um comunicado. “Essas descobertas continuaram as mesmas, mesmo levando em consideração os níveis de empatia de cada criança e os fatores que os irmãos compartilham em família – como práticas parentais ou o status socioeconômico da família – que poderiam explicar semelhanças entre eles”, acrescentou.

Curiosamente, as irmãs mais velhas não pareciam desenvolver níveis mais altos de empatia depois de viverem um ano e meio com um irmão mais novo. Quanto ao porquê dessa particular dinâmica de irmãos ter resultado diferente, os pesquisadores dizem que mais pesquisas são necessárias.

<