;
Família

Mãe alerta e diz que o melhor que você pode fazer para os seus filhos é cuidar da sua saúde mental

Jessie fez um desabafo muito importante

Isabella Zacharias

Isabella Zacharias ,Filha de Aldenisa e Carlos

Jessie e sua filha, Hana, de 6 anos. (Foto: Nichole Huck/CBC)

Jessie Dishaw, de 41 anos, é o tipo de pessoa independente: ela se sente à vontade para lidar com ferramentas elétricas e ensina a si mesma novas habilidades quando precisa delas.

Ela passou seu espírito independente para seus filhos. Hana, de 6 anos, tem sua própria pistola de cola quente. Seu quarto é equipado com uma máquina de costura, um teclado e uma roda de cerâmica infantil. Além de Hana, Jessie também tem um filho de 4 anos.

Crianças são nossos espelhos
Ao longo dos anos, Jessie aprendeu que crianças são espelhos que refletem tudo que há em você, tanto o bem quanto o mal. Há 10 anos, ela foi diagnosticada com transtorno disfórico pré-menstrual, um transtorno que causa mudanças extremas de humor, incluindo extrema tristeza, desânimo e raiva.

Ela toma remédios diariamente para regular os níveis de serotonina, porém, se ela parar de tomar a medicação ou parar de fazer efeito, sua vida pode ficar muito difícil: “Eu sinto que estou sendo atacada por todos, mas ao mesmo tempo, sinto que estou sozinha. Isso distorce totalmente o que acontece à minha volta e eu sinto uma raiva fora do comum”, ela explicou. “É como uma fúria louca de monstros”.

Jessie diz que lutar com sua saúde mental é um desafio muito particular, mas é muito mais complicado quando você tem pessoas que dependem de você. “Eu tenho que lidar com a paciência porque tenho 2 crianças pequenas, 1 gato e 1 cachorro, então todos querem algo de mim constantemente”.

Depois de ter uma crise de raiva, Jessie sempre pede desculpas à família e tenta fazer seus filhos entenderem suas dificuldades: “Eu disse à eles que meu cérebro nem sempre funciona da maneira que deveria e pode ficar um pouco maluco algumas vezes no mês. E não é culpa deles nem minha, é apenas como o meu corpo funciona”.

Você tem que vir em primeiro lugar
Jessie diz que aprendeu uma lição muito importante: se colocar em primeiro lugar. “Eu acho que é muito difícil para muitos pais. Eles acham que as crianças devem vir em primeiro lugar. Mas eu sei que, se eu não estou bem e está tudo uma bagunça ao meu redor, então a minha família também não está bem”.

Há 4 anos, ela e a família viviam e trabalhavam na Coreia do Sul. Jessie passou 12 anos dando aulas para o jardim de infância sobre arte. Quando Hana fez 2 anos e Jessie ficou grávida de seu 2º filho, eles decidiram voltar para o Canadá para ficarem perto de suas famílias.

Ela abriu uma creche em sua casa, porém se deu conta de que estava gastando toda sua energia nos filhos de outras pessoas, ficando pouco paciente para sua própria família. Depois de um tempo, ela decidiu tomar coragem e se tornar uma artista em tempo integral.

Jessie em seu estúdio (Foto: Nichole Huck/CBC)

“Acho que meu entendimento de que tenho que me colocar em primeiro lugar para ter uma vida familiar saudável me deu mais permissão para dar o salto e tentar”, ela conta, Jessie é formada em artes plásticas.

Em seu estúdio, que fica na própria casa, Jessie está trabalhando em um projeto que tem como objetivo criar arte em com bordados inspirados em tatuagens. Então, ela descobriu que seguir seu coração e cuidar de sua saúde mental a ajuda a ser uma mãe melhor.

Jessie tem dados conselhos para os pais sobre ser gentil consigo mesmo. “Todo mundo precisa se perdoar e também se dar um espaço. Estamos todos tentando descobrir como vamos melhorar o ambiente para nossos filhos. Só temos que olhar para nós mesmos e dizer: ‘Ok, eu estava errado, mas amanhã é um novo dia e eu farei melhor'”.

Leia também:

Estudo explica porque os homens sofrem muito mais com a dor que as mulheres (e a gente já sabia)

Menina que morreu de leucemia deixa carta emocionante à voluntária: “Você é minha melhor amiga”

Mãe de primeira viagem faz desabafo sincero e conquista a internet: “Por favor, pare de me aterrorizar”