Gravidez

Mãe de primeira viagem faz desabafo sincero e conquista a internet: “Por favor, pare de me aterrorizar”

Nem sempre os comentários e dicas são bem vindos

Izabel Gimenez

Izabel Gimenez ,filha de Laura e Décio

Mãe de primeira viagem (Foto: Reprodução / Arquivo Pessoal)

As mães de primeira viagem sabem como é difícil, dá medo e é angustiante estar cheias de dúvidas. Qualquer reação do seu corpo diferente do esperado, é motivo para entrar no Google para checar se aquilo realmente é normal. A paciência é testada a todo momento com todas as outras mães que querem compartilhar todo o conhecimento adquirido na gestação, mas normalmente, por mais que seja de coração, só deixa a gente mais nervosa, né? Essa mulher que está esperando o primeiro filho, resolveu fazer um desabafo sincerão e conquistou a internet.

Por vários anos, ela tentou engravidar e nunca dava certo. “Eu tinha feito o teste como precaução, já estava esperando sentir aquela tristeza de sempre, mas dessa vez, nosso sonho se realizou. Aquela segunda linha apareceu e pedia para eu reorganizar todas os quebra-cabeças da minha vida. As próximas horas daquele dia eu me senti em um nevoeiro confuso, mas maravilhoso”

Ela conta que o mais especial dos primeiros dias foi a reação amorosa de familiares queridos, mas se surpreendeu com o tanto de conhecidos que viriam contar histórias de vida para aterroriza-lá.  “Aprendi rapidamente que nunca antes tive tanto a temer, e que existiam tantas pessoas que queriam alimentar esses medos.”

“Havia os avisos superficiais que ameaçavam minha vaidade, claro, de ‘Vá em frente e faça as pazes com o fato de que seu corpo nunca mais será o mesmo ‘, até o cabeleireiro se meteu e passou a observar o tamanho do meu dolorido peito que obviamente só crescia, dizendo: ‘Menina, você vai precisar de um elevador depois disso.’ Um membro da família me lembrou de como o rosto e o nariz de tal pessoa tinham inchado e duplicado o seu tamanho normal ao longo da gravidez e como eu precisava estar preparado para que isso pudesse acontecer comigo. Legal, pensei. Isso vai ser divertido .”

Teste positivo (Foto: Getty Images)

Quando eles descobriram o sexo, veio a notícia: Uma menina! O casal resolveu publicar nas redes sociais e ela conta que nunca tinha lido tantos comentários fofos ao mesmo tempo, mas sempre tem aqueles que despejavam negatividade.  “Ah, mamãe! Toma cuidado, viu?”,  “O conto das esposas diz que as garotas roubam sua beleza, mas felizmente você tem muito para poupar”, escreveu uma pessoa, inserindo um emoticons de rosto sorridente.  “Se prepare para perder seu marido para sempre. Ele ficará tão apaixonado por ela que você ficará invisível a partir de agora. Haha”.

“Impressionante, eu pensei. Fico agradecida por me dar tanto apoio”. Apesar de estar irritada, esses ‘avisos’ nunca me incomodaram tanto quando os que viriam”.

No final do primeiro trimestre, ela teve dores de cabeças muito forte e resolveu procurar mães experientes no Instagram. “Eu estava desesperada, me mexia a noite toda, mas uma coisa eu aprendi: convite de aconselhamento não devem ser anunciados publicamente. Enquanto vários amigos me davam dicas úteis, tinham muitos intrometidos que vinham nas mensagens tentando me diagnosticas desde fibromialgia até sinais precoces de pré-eclâmpsia. ‘Eu não sei como te dizer isso, querida, mas eu desenvolvi fibromialgia no meio da minha gravidez, e ainda a tenho 20 anos depois’, disse um ex-colega. ‘Eu acho que pode ser o que está acontecendo com você'”.

Depois que a barriga ficou mais aparente, começou a aparecer pessoas que queriam orientá-la em certas decisões. “Enquanto me esclareciam sobre seus planos de nascimento fracassados, assim como sobre sua prima, sua antiga colega de trabalho e aquela mãe que eles conheceram uma vez na aula de yoga. Havia histórias de que as epidurais não funcionavam, de infecções debilitantes por cesarianas , de uma ruptura vaginal tão intensa que não se podia ter sexo por um ano. Havia relatos desconcertantes de desembarque em médicos negligentes e especialistas em aleitamento , e histórias de horror sobre tudo, desde hospitalizações pós-parto a disfunções de órgãos”.

“Eu entendo que várias dicas foram dadas de forma inocente e divertida, mas eu não sou ingênua de pensar que todo o processo é mágico. Eu sei que vão ter incidentes e que muitas mulheres passam por coisas traumatizantes. Ainda sim, o corpo de toda mulher responde exclusivamente a gravidez e ao parto, e não entendo o motivo de botar o terror nas novas e ansiosas mamães – especialmente aquelas que não se conhece intimamente”.

“A gravidez é um período delicado – cada obstáculo e incerteza é ampliado pela saga hormonal que já não podemos controlar.  Criar um humano dentro de si não é fácil e a jornada da nova maternidade está cheia de altos e baixos. Cada nascimento representa uma morte para uma mulher, e isso pode ser uma etapa difícil e emocionalmente estranha para encarar, não importa quão  lindo seja o final. Então, por favor, não torne isso mais assustador do que já é.”

Leia mais: 

É mãe de primeira viagem? Saiba o que esperar do primeiro trimestre de gestação

21 coisas pra dizer a uma mãe de primeira viagem

Entenda a importância da amizade entre mães de primeira viagem