Família

Mães criam maleta de atividades para as crianças em viagens de carro e fazem sucesso nas redes

"Empreender é como a maternidade: exige muita disciplina e força de vontade"

Isabella Zacharias

Isabella Zacharias ,Filha de Aldenisa e Carlos

Ana Cristina e Flavia são amigas há anos e sócias da Flack Store, marca de maletas de atividades para carro (Foto: Acervo pessoal)

Kuki Bailly é mãe da Jasmin, formada em Design, e tem vasta experiência em inovação e empreendedorismo. Ela criou o Grupo Rededots e, hoje, compartilha histórias sobre como empreender transforma vidas. Dessa vez, vamos conhecer a história das amigas Ana Cristina Matheus e Flavia Martins.

Como muitas mulheres que se tornam mães, Ana Cristina e Flavia, ficaram anos fora do mercado do trabalho depois da maternidade. “Nos dedicamos em tempo integral aos nossos filhos – sou mãe de Théo e Gabriel – e eu até fui freelancer durante um tempo, mas sempre quis ter o meu próprio negócio“, ela conta. Ela se interessou por muitos mercados e estava sempre procurando por algo que fosse novidade ou que não existisse no Brasil.

Um dia, em uma conversa, elas tiveram uma ideia: uma maleta de atividades para carro. Funciona mais ou menos assim: a maleta é colocada atrás do banco do motorista ou do passageiro e vira uma mesinha para que a criança possa comer, desenhar ou colocar o tablet.

Ana e Flavia se apaixonaram por essa ideia: “Afinal, somos mães e essa seria uma solução maravilhosa para ajudar pais e filhos. Vimos uma grande oportunidade e nicho de mercado, e como mães, acreditamos muito no nosso produto. Viramos sócias e nos jogamos de cabeça”.

Nesse momento, as duas descobriram as dificuldades do empreendedorismo: era preciso ter um contador para abrir a empresa, um advogado para que o produto fosse protegido e alguns consultores para entender como funcionava uma microempresa: “Partimos do zero, então não tínhamos ideia de muitas coisas. E, claro, vieram os perrengues”, elas contam.

A Flack é uma maleta feita para crianças se distraírem no carro (Foto: Acervo pessoal)

Era preciso arranjar alguém para colocar a ideia no papel, seguindo todas as normas judiciais. Elas levaram muitos “nãos” de fornecedores e receberam propostas com valores impossíveis. “Essa foi a pior parte do processo e quase desistimos”, depois de inúmeras reuniões, as sócias conseguiram alguém que acreditasse no produto e a Flack finalmente saiu do papel!

Após cursos para aprender a identidade da marca, a comunicação e como seria a linguagem das mídias sociais, elas inauguraram a Flack Store. “Tentamos muito alavancar as vendas, mas só deu certo quando conhecemos a Rededots”, dizem sobre o Grupo Rededots, idealizado por Kuki.

A maleta é ótima para as crianças comerem, apoiarem tablets e desenharem no carro (Foto: Reprodução / Instagram @flackstore)

Elas dizem que o empreendedorismo não é fácil, mas é muito bom. E também é muito parecido com a maternidade: exige disciplina e força de vontade porque nem sempre as coisas acontecem como planejado: “Às vezes ficamos desmotivadas, mas nunca desistimos. Temos disposição, colocamos a mão na massa e fazemos acontecer! Mergulhamos de corpo, alma e coração – e é transformador”.

Leia também:

Após ser demitida, ela se reinventou e criou um marketplace de produtos e serviços

3 razões pelas quais as mães já nascem empreendedoras

Relato de mãe: “Viemos sem cama, mesa, um real no bolso e com um bebê na barriga”