Bebês

Médicos pedem para pai escolher entre a vida da filha ou esposa durante o parto

A mulher estava no sétimo mês da gestação

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

 

(Foto: Reprodução / Fox)

Frederick precisou escolher entre a vida da filha e a da esposa (Foto: Reprodução / Fox)

Frederick Connie foi obrigado a fazer uma escolha terrível: a vida de sua filha ou de sua esposa.

Na última sexta-feira (30), o casal foi para o hospital e, ao chegarem, os médicos disseram para Frederick que ele teria que decidir entre a vida de Keyvonne e da filha deles. Keyvonne estava grávida de 7 meses da primeira filha do casal.

“Ela estava com hemorragia, então ou os médicos faziam os procedimentos para estancar a hemorragia e salvar a vida da minha esposa, mas nossa filha morreria. Ou eles faziam uma cesárea de emergência e minha filha sobreviveria, mas existia uma chance de perder minha esposa”, Frederick explicou em entrevista ao canal norte-americano KDVR.

De acordo com o Dr. Alberto Guimarães, obstetra e pai de Beatriz e João Victor, quando se trata desse tipo de situação a conduta deve ser médica. Ou seja, o especialista deve tomar a decisão de salvar o bebê ou a mãe, pois se trata de um caso que deve ser resolvido com urgência. “Quando temos um caso de transfusão de sangue, por exemplo, e há mais tempo para o médico pensar em uma alternativa, o cenário muda”.

(Foto: Reprodução / Facebook)

(Foto: Reprodução / Facebook)

Então Frederick tomou a decisão que acreditava ser a vontade de sua esposa: ele decidiu que a cesárea de emergência deveria ser feita para salvar a vida da filha do casal. Keyvonne, infelizmente, não resistiu e morreu logo após dar à luz.

Frederick batizou a filha com o nome da mãe, Angelique Keyvonne Connie. “Eu não me arrependo, porque se Keyvonne sobrevivesse, ela teria me odiado pelo resto da minha vida por não ter salvo nossa filha”, ele declarou na entrevista.

(Foto: Reprodução / Facebook)

Angelique está se recuperando muito bem, olha que sorriso simpático! (Foto: Reprodução / Facebook)

Apesar de ter nascido prematura, Angelique sobreviveu e está se recuperando bem no hospital. Ela está sendo amamentada com doações de leite materno, o que está ajudando em sua recuperação.

Angelique terá alta nas próximas semanas e Frederick disse que pretende se dedicar 100% na criação da filha: “Eu fui dado para a adoção, mal conheci meus pais, então estar presente na criação da minha filha é muito importante para mim”, declarou o pai.

Leia também:

Criança se emociona ao ser adotada e foto viraliza na internet

A importância do vínculo de amor no começo da vida das crianças

Crianças encontram solução inusitada para comemorar o aniversário de amigo da escola