Criança

Menina com síndrome de Down que foi recusada em 4 colégios emociona com foto da formatura

"Foram muitas vitórias, mas essa foi demais", conta a mãe da menina

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Rita e Valentina (Foto: Instagram/@ritaelincoln/Reprodução)

Rita e Valentina (Foto: Instagram/@ritaelincoln/Reprodução)

Rita é mãe de Valentina, uma menina de 6 anos que só queria frequentar a escola. Mas, depois de ver a matrícula da filha ser recusada em quatro instituições privadas, a mãe quase desistiu de colocar Valentina na escola.

Acontece que Valentina tem síndrome de Down, condição que faz a menina ter dificuldades para andar e se alimentar.

Apesar disso, por lei, escolas públicas e privadas são obrigadas a aceitar crianças com Down e outras condições especiais. Mas não foi isso que aconteceu quando Rita tentou matricular a filha.

“Eu mesma quase fiquei desacreditada [na lei] e quase não levei a Vava para a escola”, a mãe contou ao site Razões Para Acreditar. Mas tudo mudou quando Rita encontrou uma escola pública de Taubaté (SP), onde mora, que aceitou a matrícula de Valentina, onde foi “muito acolhida”.

Na EMEI Maria Pereira Santiago, Rita encontrou apoio da diretora Shirlei Cândido e de professoras como a Amanda Maciel, que lecionou para Valentina por dois anos e foi essencial para a integração da menina na classe.

Valentina e a professora Amanada na formatura (Foto: Instagram/@ritaelincoln/Reprodução)

Valentina e a professora Amanada na formatura (Foto: Instagram/@ritaelincoln/Reprodução)

Amanda contou que com a chegada de Valentina, ela estudou muito sobre a condição da menina e desenvolveu jogos e atividades com os alunos da classe para desconstruir quaisquer preconceitos que eles tivessem e que ao mesmo tempo atendessem às necessidades dela.

“Conscientizei os alunos sobre o tema da inclusão, mostrei as capacidades dos alunos especiais e seus direitos com uma abordagem lúdica”, explicou a professora ao Razões Para Acreditar.

Agora, depois de dois anos de aula com a professora Amanda na EMEI de Taubaté, Valentina finalmente se formou no Ensino Infantil e fez uma entrada triunfal na cerimônia de formatura.

A pedido de Amanda, uma voluntária da escola doou para a menina um andador rosa construído de canos de PVC, que permitiu que Valentina entrasse na cerimônia sem auxílio de outra pessoa.

View this post on Instagram

Acabamos de chegar da Formatura da Vava … e só posso resumir em uma palavra Gratidão ! Em um momento onde tivemos 4 recusas de escolas particulares, fui acolhida na EMEI Maria Pereira Santiago, pela Diretora Shirlei, da melhor forma que se imagina… fomos acolhidos por toda escola. A Vava iniciou com a Tia Alessandra , que foi um norte para nós e ficou por dois anos com a Tia Amanda que foi outra benção em nossa vida. Foram 3 anos de muito aprendizado,desafios e muitas vitórias. Hoje encerrou esse ciclo…da maneira mais lindamente que poderia ser, com a Vava entrando sozinha , cheia de segurança e autonomia. Aqui fica meus agradecimentos a toda equipe da escola, que passaram com a Vava nesses 3 anos . Sem o carinho e dedicação de todos nada disso seria possível.. Diretoras Shirley, Nayara, Claudia .. Professoras Alessandra e Amanda … ELiana .. Professora Especialista Ana e Daniela … Estagiária Kalindy … ADI ..Leticia .. Olga .. Suemara .. Sérgio .. todas as tias da cozinha e auxiliares da escola … Desculpem se esqueci de alguém .. a emoção ainda tá muito grande em nós 🥺 E agradeço o carinho de todos amiguinhos e seus familiares, que sempre trataram a Vava sem preconceito e com muito amor e respeito . Gratidão a todas 🙏🏻🙏🏻🙏🏻❤️ E que venha o Primeiro Ano 🙌🏻 #sindromededown#t21#educacaoinfantil #escola#inclusao#educacaoespecial #pedagogia#valedoparaiba#taubate#superacao#vitorias #gloriaadeus#reabilitacao#hipotonia #fisioterapia

A post shared by Família Arena (@ritaelincoln) on

A mãe da menina comentou o quão especial foi aquele momento. “Foi o que mais me emocionou. Ver ela andar sozinha, vencendo a timidez. Não teve como segurar [a emoção] e não foi só a gente, mas a escola inteira chorando.”

E não só a formatura da menina foi emocionante para a mãe, mas todo o aprendizado que a filha teve nos últimos dois anos. “Foram muitas vitórias durante todo esse processo. Vitória alimentar, vitória contra a timidez, da questão da autonomia. Foram muitas vitórias, mas essa foi demais!”

Valentina com a mãe, o pai e o irmão em sua formatura (Foto: Instagram/@ritaelincoln/Reprodução)

Valentina com a mãe, o pai e o irmão em sua formatura (Foto: Instagram/@ritaelincoln/Reprodução)

E é só o começo! Valentina vai continuar estudando na rede pública Municipal e ano que vem ela vai para o Ensino Fundamental. E que venham outras vitórias!

Leia também:

Menina com Síndrome de Down não é convidada para a própria formatura e tia desabafa na internet

Conheça a história do homem gay que adotou menina com Síndrome de Down rejeitada mais de 20 vezes

Crianças defendem colega cheerleader com síndrome de down de bullying