Pais

Rede de apoio materna fortalece mãe de primeira viagem e se torna projeto de vida

Viviane mudou de cidade grávida e a ajuda virtual foi fundamental

Yulia Serra

Yulia Serra ,filha de Suzimar e Leopoldo

Conheça a história do Clubinho Aldeia (Foto: reprodução/Arquivo Pessoal)

Viviane Freitas passou por muitas mudanças ao longo da vida, mas a principal chegou com a filha, Maria Valentina. Com novas descobertas e aprendizados, ela decidiu empreender:

“Sempre gostei de inovar, criar e fazer diferente. Assim, surgiu a estimulação infantil na minha vida: a procura por atividades cheias de encanto, significado e objetivos para as crianças.

Com algumas sugestões da Roberta e do Cristian, que gostariam que a Julia se envolvesse em atividades e amigos, e não pretendiam colocá-la na escola regular, conquistamos nossa primeira aluna.

A zig tornou-se minha paixão, amor à primeira vista por um projeto que foi tomando forma, foi cativando cada vez mais famílias e, sem muita pretensão, foi agregando mais profissionais, espaço de trabalho e ficou cheio de significado e valores.

Mais pra frente dei um grande passo, um dos mais importantes acredito. Decidi construir minha família na cidade grande, apoiar meu marido a seguir o sonho dele e cuidar do meu maior sonho, nossa Maria Valentina.

Como a vida é cheia de desafios e principalmente escolhas, fechei as portas do meu querido projeto. Uma pausa dolorida e sofrida por um lado, mas necessária e imprescindível no momento. Tenho em mim uma vontade enorme de ajudar, trocar ideias, compartilhar. Gosto de estar com as pessoas, ter gente de verdade no meu dia a dia, me sinto viva!

Sabendo que estaria em um dos meus momentos mais importantes – maternidade – e consciente que não teria tantas pessoas perto de mim em Santiago, criei o grupo mães em 2016, com conhecidas da nossa terrinha, que estavam grávidas como eu.

Fomos nos unindo e encontrando mais gestantes. E agora podemos dizer que somos amigas e confidentes uma das outras. Com elas, aprendi a ser mãe. Claro que tenho muito da minha mãe, irmã, sogra no meu maternar, mas com elas sou segura, confiante e verdadeira.

Quer oportunidade melhor do que compartilhar os mesmos perrengues diários que está passando com sua filha e conseguir soluções e ideias quase que instantâneas? Sem falar no afeto, cuidado e carinho com que regamos todo dia nosso tão amado grupo.

Foram 3 anos em Poá cheios de estudo, dedicação e superação do meu marido na residência médica e os 3 anos mais inesquecíveis e posso dizer que assustadores (mães me entenderão) da minha vida: gestação, nascimento e primeira infância da Maria.

Sem muita rede de apoio, em muitos momentos, nos víamos em uma montanha-russa ou equilibrando pratos para dar conta de tudo, sem falar nos nossos sentimentos e frustrações.

Esses foram os anos que mais amadureci e evoluí. Em muitos momentos, tive choques de realidade que ficarão marcados na minha história, mas foram exatamente esses momentos que me transformaram na pessoa que sou hoje, com os mesmos valores e desejos, no entanto, muita convicção e segurança do meu propósito.

Posso dizer que vivi com muita intensidade e verdade. Descobri o poder da conexão, a importância de me conectar comigo mesma, com meu marido e principalmente com minha filha. Ele transforma e nos faz tomar conta da nossa vida com muita consciência e respeito.

Diante de tudo isso, tenho em mim um sinal de alerta que está avisando que estou pronta para recomeçar, que está na hora de voltar a minha missão profissional, ao meus conceitos, valores, objetivos, com toda essa vivência e aprendizado.

Agora, meu projeto faz muito mais parte da minha vida, meu novo propósito de ser, trabalhar e viver! O Clubinho Aldeia. ‘Te permite sentir que a resposta vem e vem fazendo valer a pena se vier com amor!’”

Se você é mãe e tem a vontade de ter um negócio próprio, conte sua história para nós via direct do Instagram (@paisefilhos) e participe do projeto Nascer de Novo. Em parceria com a Brascol, estamos valorizando o empreendedorismo materno.

Leia também:

Brincadeira vira coisa séria e mãe cria negócio próprio para incentivar a criatividade das crianças

Jornalista compartilha desabafos sobre maternidade no Instagram e história vira livro

Loja própria é orgulho de mulher: “Segurou as pontas quando me tornei mãe solo e desempregada”