Gravidez

Saiba o que esperar de uma gestação de gêmeos

Desde a concepção até o parto tudo é diferente!

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: Getty Images)

A mãe de gêmeos na maior parte dos casos sente enjoos mais intensos (Foto: Getty Images)

Embora a alegria e o amor de ter uma gestação gemelar venham em dobro, os cuidados durante a gravidez também são duplicados. Além de ganhar mais peso, provavelmente você precisará de mais vitaminas e será cuidadosamente monitorada pelo seu obstetra. Tudo começa quando no primeiro exame o médico escuta três batimentos cardíacos – já que um deles é do seu coração.

E essa é a largada para a maior surpresa da sua vida, a começar pela gravidez de dois, que já é considerada rara. “A possibilidade é de 1 para 80. Além disso, as gestações de gêmeos estão relacionadas com hereditariedade”, explica Alfonso Araújo Massaguer, pai de Nicolas, ginecologista, obstetra e especialista em reprodução humana da Clínica MAE em São Paulo.

Tudo em dobro – mesmo!
Já adiantamos que as mudanças no corpo vêm duplicadas desde o início, logo nos primeiros sintomas. Se quem espera um bebê sente náuseas nas primeiras semanas, a mãe de gêmeos provavelmente sentirá enjoos muito mais fortes e intensos, seguidos de vômitos durante pelo menos a primeira quinzena de gestação. E não para por aí: um feto extra crescendo, também implica em menos espaço para os seus órgãos.

“O coração, estômago e intestino precisam se realocar dentro do corpo para abrigar o crescimento uterino, e isso pode ser mais incômodo na gestação gemelar”, explica a enfermeira obstetra Cinthia Calsinski, mãe de Matheus, Bianca e Carolina.

Mas, espera aí: nada disso é motivo para pânico. Ter mais de um filho na barriga é motivo para muitas mudanças sim, mas também para bastante alegria. Vale ter mais atenção com os sinais que o seu corpo dá, como por exemplo, saber controlar sua energia e identificar o momento de ter um descanso. O pré-natal e os cuidados médicos durante a gestação também são dobrados.

E isso porque é preciso ficar de olho tanto nos bebês, como na saúde da mãe. “O acompanhamento deve ser mais rigoroso, do início ao fim. Incluindo nutricionista, para cuidar do aumento de peso e das necessidades que os fetos terão; fisioterapeuta, para trombose e dor nas costas; além do controle rigoroso de peso, do colo do útero e checar pré-eclâmpsia – que é a pressão alta durante a gravidez”, lista Alfonso.

Vale lembrar que a frequência entre as consultas também muda: o espaço entre uma e outra é menor e os exames são feitos em maior número.

(Foto: Getty Images)

(Foto: Getty Images)

Hora do parto

Apesar de o Brasil ser recordista no número de cesáreas – mais de 50% dos bebês nascem assim por aqui – e embora esse número seja ainda maior quando o assunto é gestação gemelar, esse tipo de parto não é regra, mas, sim, questão de segurança. E isso porque a presença de mais de um filho dentro da barriga deixa a precisão das posições por meio do ultrassom mais difíceis.

Mas isso também não significa que o parto normal não é possível. Para que tudo ocorra bem, é importante que o médico tenha experiência no assunto, que o acompanhamento, a posição e os pesos dos bebês sejam bem detalhados até o final. Um dos momentos cruciais em um parto normal de gêmeos é a saída do primeiro bebê, já que o segundo pode mudar de posição depois de “ganhar mais espaço” dentro da barriga da mãe.

Apesar de a idade gestacional média de nascimento de gêmeos ser de 36 semanas, a prematuridade também não é normal. Se você tiver bom acompanhamento e seguir todos os cuidados é possível levar a gestação o mais próximo das 40 semanas de maneira saudável. E lembre-se: quanto mais cedo os bebês chegarem, maiores as chances de precisarem ir para a UTI neonatal.

Leia também:

Parto normal: o que você precisa saber.

8 truques para fazer seu filho comer de tudo.

Pais que não vacinam são responsáveis pelo maior surto de catapora em Estado americano, mostra investigação.