Engravidar

Por que o número de mulheres com menopausa precoce está crescendo?

Se você é uma delas, descubra o que pode ser feito para conseguir engravidar

Jéssica Anjos

Jéssica Anjos ,filha de Adriana e Marcelo

(Foto: iStock)

(Foto: iStock)

Vamos por partes, primeiro é importante entender o que é menopausa. De acordo com o Dr. Dirceu Henrique Mendes Pereira, ginecologista formado pela UNIFESP com mestrado e doutorado em ginecologia e obstetrícia pela FMUSP, médico da Genics Medicina Reprodutiva, filho de Diana, menopausa é a interrupção da ovulação, o que influencia diretamente na gravidez. “Se você tiver uma pausa sem menstruar igual ou superior a 12 meses podemos dizer que está entrando nesse processo”, explica. Agora, se ela acontecer antes dos 40 anos é considerada menopausa precoce já que a idade fisiológica normal é entre 45 e 55 anos.

“Na verdade estamos chamando esse processo de mulheres mais novas que não menstruam mais de ‘falência ovariana precoce'”, comenta Dirceu. Segundo o médico, cada vez mais mulheres com idade entre 30 e 32 anos estão aparecendo na clínica que estão nessa situação. “Elas pararam completamente de menstruar ou menstruam menos”. Mas a pergunta que não quer calar é: por quê?

Hábitos inadequados como tabagismo, uso de drogas e até mesmo um sono bastante conturbado estão no topo da lista de possíveis causas da menopausa precoce. “Além disso, nós, médicos, acreditamos que o meio ambiente com a presença de poluentes e os alimentos com agrotóxicos também influenciam na mudança do organismo”, afirma Dirceu.

Qual o conselho

Tenha hábitos alimentares saudáveis. Não tem como escapar disso! Se você quer evitar uma menopausa precoce, principalmente se engravidar está nos seus planos, procure ter uma alimentação balanceada rica em frutas, verduras e legumes DA ESTAÇÃO. Quanto mais alimentos naturais e orgânicos você ingerir, melhor para a sua saúde! “Outra dica é aplicar um pouco de bicarbonato de sódio na água quando você estiver preparando algum alimento para limpar um pouco”, aconselha o especialista.

Xô estresse! Viver estressada também influencia na sua produção hormonal, parece besteira, mas manter uma vida tranquila e fugir de situações estressantes pode ajudar. E não esquece de dormir bem, faz diferença. “7 a 8 horas por dia é uma necessidade”, explica o ginecologista. Então não tem negociação, comece a ter a noite de sono que você merece.

O que fazer?

Para identificar que a mulher está nesse processo de falência de óvulos, os médicos fazem um exame que chama hormônio antimulleriano. “Através dele é possível contar os óvulos e também a dosagem de hormônios da paciente”, conta Dirceu. A partir desse diagnóstico o próximo passo é pensar nas alternativas caso ela esteja na menopausa precoce. “Podemos tentar uma reversão, mas dependendo do grau a doação de óvulos é o mais aconselhável”, explica. Na segunda opção citada pelo especialista, o óvulo é fertilizado in-vitro, tornando possível a gravidez. “É um procedimento bastante efetivo”, assegura.

Leia também:

Cinco coisas que você precisa saber sobre menopausa precoce

Mulheres que amamentam são mais magras na menopausa

Engravidar após os 45, é possível?