Saúde

Artrite ou dor de crescimento? Saiba identificar as diferenças no seu filho

Ela pode afetar várias articulações do seu filho

Rhaisa Trombini

Rhaisa Trombini ,Edileyne e Geraldo

Não é comum crianças e adolescentes terem esse tipo de doença (Foto: Getty Images)

Seu filho já teve dor do crescimento? Por mais que não exista qualquer comprovação científica que essa dor está relacionado ao crescimento, ela realmente existe e as crianças podem sofrer com ela. Segundo o pediatra e reumatologista Dr. Claudio Len, pai do Fernando, da Beatriz e da Silvia, alguns fatores que podem estar relacionados são hipermobilidade articular (articulações mais flexíveis), maior sensibilidade, estresse, problemas de sono e história familiar de dor.

Mas você deve estar atento aos sintomas e, se surgir alguma dúvida sobre a origem da dor e o tratamento, é importante consultar um pediatra de sua confiança! Algumas vezes essa dor pode significar algo mais grave, como a Artrite Idiopática Juvenil, uma doença reumática inflamatória que causa dores, calor e inchaço nas articulações.

Não é comum crianças e adolescentes terem esse tipo de doença, por isso você deve estar atento aos sinais. Se o seu filho deixar de realizar alguma atividade rotineira por dor ou incômodo e deixar de se alimentar, pode ser um caso de artrite juvenil. A inflamação nas juntas é a principal característica e em alguns casos a dor pode ser mínima.

Fique de olho nos sintomas! (Foto: Getty Images)

Artrite Idiopática Juvenil apresenta três tipos manifestações. Ela pode ser oligoarticular, que pode afetar até 4 articulações (joelho e tornozelo principalmente), podendo manifestar uveíte, uma inflamação nos olhos; poliarticular, afeta cinco ou mais articulações e pode haver febres ocasionais; ou sistêmica, quando a febre alta apresenta dois picos diários, dor no peito, dificuldade de respirar, aumento do fígado e do baço.

Segundo o Dr. Claudio Len, o tratamento deve começar o mais rápido possível, pois a artrite pode causar danos permanentes no seu filho. A abordagem é feita de acordo com a intensidade da artrite que se manifestou na criança e com a orientação de um pediatra e médico responsável.

“Se é só no joelho, por exemplo, pode usar uma infiltração intra articular com corticoide. Se é poliarticular, podem ser usados medicamentos reumáticos ou imunossupressores para evitar que o organismo ataque a articulação. Casos mais graves nós usamos remédios biológicos, como vacinas, que vão inibir as moléculas que causam a inflamação.” Dependendo do caso, fisioterapia e acompanhamento psicológico podem ajudar.

A artrite pode acontecer em crianças (Foto: Getty Images)

Segundo o especialista, os tratamentos são revolucionários e seguem protocolos internacionais. Crianças que sentiam muita dor 10 anos atrás, hoje vivem normalmente. A doença é controlada aos poucos, uma evolução até a criança entrar em remissão, o que acontece na maioria das vezes.

A causa da Artrite Idiopática Juvenil ainda não é conhecida, mas pode estar relacionada a fatores imunológicos, genéticos e infecciosos. Além disso, existe a tendência familiar, estresse emocional e os traumatismos articulares podem desencadear a doença.

A artrite não é uma doença infecto-contagiosa e os pacientes podem frequentar creches, escolas, clubes e piscinas normalmente.

Leia também:

Dor do crescimento existe, sim! Não é balela e a gente te explica

Estudo explica porque os homens sofrem muito mais com a dor que as mulheres (e a gente já sabia)

Tem um atleta em casa? Te ensinamos como protegê-lo dos machucados