Bebês

Bebê dorminhoco: mãe desenvolve técnica para filho de 2 meses dormir a noite inteira e conquista o país

Karla Mendonça criou um curso para ajudar outras mulheres na rotina de sono do bebê

Izabel Gimenez

Izabel Gimenez ,filha de Laura e Décio

Crianças precisam dormir! (Foto: Gety Images)

Karla Mendonça, mãe do Eduardo e do Gustavo, quando engravidou do primeiro filho decidiu estudar de tudo, ler vários livros e fazer vários cursos para que pudessem transformá-la em uma mãe de primeira viagem preparada para a chegada do bebê, na medida do possível. Quando chegou na parte de entender melhor como funciona o sono do bebê, percebeu que não existia tanto material e começou a ir atrás por conta própria!

Quando seu filho mais velho nasceu, ela começou a desenvolver técnicas e entender melhor como funcionava o sono do seu bebê. Em vez de se adaptar a rotina dele, colocou Edu na dos pais. Então, Karla começou a ensiná-lo desde cedo a dormir bastante! O negócio deu tão certo que ela começou a ensinar outras mulheres a fazer o mesmo. Ninguém conseguia acreditar que seu filho de quatro meses já conseguia dormir 11 horas sem pausa para mamar, mesmo tendo amamentação exclusiva e com todo acompanhamento dos médicos.

Karla decidiu fazer mais: ir a fundo, estudar ainda mais e especializar em sono para poder alcançar mais mães e ajudar ainda mais. Daí nasceu o Bebê Dorminhoco, um curso online para pais que querem ter um sono tranquilo e um filho que dorme muuuuito. Em entrevista à Pais&Filhos, a empreendedora explicou como foi todo o processo até a criação da empresa e claro: deu algumas dicas de ouro para você!

Como começou a ideia do projeto “Bebê dorminhoco”? 

“A Bebê Dorminhoco nasceu junto com meu primeiro filho Edu. Era maravilhoso ter um bebê em casa, mas eu não sabia como orientar o dia dele. Que horas colocar para fazer soneca, o que fazer no tempo dele acordado, que horas colocar para dormir o sono noturno, etc. Por isso, comecei a ler diversos livros e uma amiga mãe de quatro filhos me ajudou muito a introduzir uma rotina para introduzir hábitos que favorecessem o sono de qualidade do Edu.  Quando o Edu tinha quatro meses, ele começou a dormir 11 horas seguidas sem mamar, em amamentação exclusiva. Ele acordava com um super sorriso no rosto, feliz, descansado, se desenvolvia super bem e ganhava muito peso. Eu estava em êxtase de tanta felicidade. Então Deus falou claramente ao meu coração que aquele era meu propósito, ajudar outras mães a terem uma maternidade mais leve. Com muito trabalho, mas podendo descansar e podendo dar aos seus filhos o presente de uma boa noite de sono. Não entendia de onde vinha essa idéia de que por ser mãe, você não tem mais vida e não pode nem descansar! Os bebês precisam dormir, inclusive, muito mais que os adultos. Então eu me especializei em Sono infantil e decidi fazer dessa a minha missão, criando meu curso de sono para empoderar outras mães e pais e dar a eles conhecimento para fazer suas escolhas de forma consciente!

2) De que forma você conseguiu encontrar a melhor forma de fazer o Edu dormir bastante?

Com conhecimento. Assim como  o conhecimento nos faz capaz de amamentar, ele também nos capacita a ajudar nossos filhos a dormirem bem. Como eu disse, o Edu dormia cerca de 11 horas seguidas sem mamar aos quatro meses, mas já nosso segundo filho, Gustavo, conseguia ficar 12 horas seguidas dormindo tranquilamente já aos dois meses. Vale lembrar que essas 12 horas seguidas sem mamar aos dois  meses aconteceu de forma natural, sem desmame noturno. Apenas introduzindo hábitos que favorecem o sono de qualidade desde o nascimento e ele aos poucos foi espaçando as hora que acordava para mamar. Primeiro dormia 6 horas, depois começou  a acordar para mamar só com 8 horas, até dormir a noite inteira sem acordar.

Família (Foto: Divulgação)

3) Existem alguns bebês que realmente não conseguem dormir ou é apenas uma questão de rotina? 

“Não é só rotina, mas vários fatores que juntos resultam em um sono de qualidade. Assim como no nosso corpo: o coração não funciona bem sem o pulmão, tudo está interligado e no sono é a mesma coisa”

4) Quais as principais dicas que você daria para uma mãe que não consegue fazer o sono do bebê ser regulado?

Eu diria para ela começar pela rotina, com horários regulares para iniciar e terminar o dia. Quanto a alimentação, ela deve encher bem a barriga do bebê dois os peitos por mamada. O ideal é evitar que ele durma enquanto mama e logo depois que terminar um dos lados, pode colocá-lo para para arrotar e logo em seguida dar o outro peito. Assim, de barriga cheia, ele conseguirá dormir melhor tanto a soneca, quanto o sono noturno. Além disso, para nas primeiras semanas de vida do bebê, é bom manter todas as cortinas abertas durante as sonecas, mas após uns dois meses de vida fechar essas cortinas para que o ambiente fique bem aconchegante. É um grande mito achar que bebês ou crianças em qualquer idade precisam dormir com cortina aberta. Todos dormimos melhor no escuro!

5) Os cursos são divididos em fases bem especificas da idade do bebê, qual a necessidade disso?

“A rotina de um recém-nascido que só se alimenta de leite é muito diferente de um bebê que já se alimenta de sólidos e corre pela casa. Um recém nascido dorme o dia todo, um bebê de um ano e meio só faz uma soneca no dia, por exemplo. O recém-nascido é muito sonolento e uma das maiores dificuldades dos pais, é mantê-lo acordado para fazer uma mamada de qualidade. Já com um bebê de nove meses, a dificuldade é conseguir acalmá-lo para que ele consiga dormir. São diferenças muito grandes e não tem como usar a mesma linguagem em um curso apenas. Por isso, dividimos em 2 faixas etárias: 0-5 meses e 6-23 meses, sendo que nesse último eu abordo a rotina até os 5 anos”

Karla é mãe de Eduardo e Gustavo (Foto: Divulgação)

6) Uma mãe de um bebê de 7 meses pode começar o curso e ver mudanças?

“Claro! Sem dúvida alguma! Aliás, os pais verão não apenas mudança, mas solução em qualquer idade. Recebemos dezenas de depoimentos diariamente. O curso de 6-23 meses por exemplo, é maravilhoso e dividido em etapas, como em um jogo. Conforme você vai concluindo, você avança para a próxima fase. Na etapa 1, por exemplo, eu oriento como organizar todos os detalhes da rotina, do quarto, luminosidade…E após concluir essa etapa eles avançam para aplicar o módulo 2 até chegar no último. Assim os pais vão aplicando, ficando felizes com os avanços e terminam rapidamente todas as fases. Ao final, colhem os frutos de seu empenho, um Bebê Dorminhoco, que acorda feliz e se desenvolve bem”

7) Quais as vantagens de fazer o curso desde o início? 

“As vantagens das mães que fazem no final da gravidez são inúmeras. Elas se preparam, conhecem o mundo dos bebês, sabem o que esperar desde o nascimento, etc… Elas já aprendem qual choro é sono, qual choro é fome, como aquecer o bebê de forma segura, quais os prós e contras da cama compartilhada, como organizar uma rotina, enfim, aprendem o que é mito e o que de fato é verdadeiro e importante. Vale lembrar ainda que quando o bebê nasce, ele ainda não tem hábito nenhum estabelecido, ou seja, ele vai aprender da forma como você ensinar, e se você já começa ensinando o que favorece o sono de qualidade, ele vai dormir a noite toda mais rapidamente, o que é ótimo pro desenvolvimento dele e para o descanso dos pais!”

8) Família pra você é tudo?

“Absolutamente Tudo! Eu vivia sozinha em Belo Horizonte até conhecer meu marido, pois minha mãe já é falecida há muitos anos, meus irmãos e pai moram longe, e ter uma família e ainda com 2 filhos lindos me emociona diariamente.  Quem me acompanha no Instagram tem a oportunidade de ver isso, pois minha vida inteira está lá”

Leia também:

8 dicas para você entender o sono do seu bebê

Saindo de fininho: vídeo de mãe escapando do quarto do filho vai fazer você gargalhar

12 dicas para ajudar seu bebê a dormir a noite toda