Saúde

Bruxismo infantil: tudo o que você precisa saber

Esse é o nome dado ao movimento feito com a boca como se fôssemos morder algo, comprimindo os dentes

Jennifer Detlinger

Jennifer Detlinger ,Filha de Lucila e Paulo

O bruxismo atinge 40% das crianças por volta dos 6 anos (Foto: Getty Images)

Você já ouviu falar em bruxismo? Esse é o nome dado ao movimento feito com a boca como se fôssemos morder algo, comprimindo os dentes. “Na prática, é como um constante apertar, ranger ou cerrar de dentes, que pode ser inconsciente ou não”, explica Fabiana Turkieniez, mãe de Manoela e odontopediatra.

A condição, que pode acontecer em adultos também, atinge 40% das crianças por volta dos 6 anos, segundo estudo publicado no Journal of Dentistry for Children. E é justamente na idade pré-escolar que o surgimento do bruxismo é mais comum, porque é nessa fase que as crianças apresentam dentes permanentes e de leite ao mesmo tempo – a chamada dentição mista.

Além disso, em muitos casos, é nesse período que seu filho será exposto a um ambiente diferente do familiar, gerando um gatilho para o estresse emocional. Afinal, passar por tantas mudanças assim – o início da vida escolar, a mudança de rotina e a troca dos dentes de leite são só alguns exemplos – não é tão fácil. “O hábito surge principalmente nessa época, em que a criança percorre um período de intensas modificações psicológicas”, Fabiana confirma.

De olho nos sintomas
O bruxismo pode ser observado de dia ou à noite, durante o sono. “De dia, as causas mais comuns são problemas respiratórios, como rinite, por exemplo, ou até gástricos. Já à noite, a maioria dos casos está relacionada ao estresse, por conta da sobrecarga de atividades, responsabilidades, ou mudanças no ambiente e rotina”, comenta a dentista Isabella Mendes, mãe de Carolina.

Para saber se seu filho tem esse hábito durante o sono, a dica de Fabiana é ficar de olho no comportamento dele e alguns indícios que podem surgir: “Produção de sons durante a noite, dor de cabeça, ouvidos e dor ao mastigar podem indicar a condição. Se o bruxismo for intenso, podem surgir até desgastes na superfície dos dentes”. Ou seja, ficar esperta com a aparência dos dentes dele e dar sempre aquela conferida também é superválido.

40% DAS CRIANÇAS COM CERCA DE 6 ANOS TÊM BRUXISMO HORA DE RELAXAR!
Tratar o estresse e a ansiedade das crianças é um bom caminho para evitar o bruxismo infantil – e muitas outras condições de saúde que podem ser consequências desses sentimentos. Por isso, a odontopediatra Fabiana Turkieniez separou algumas dicas para você, pai ou mãe, ajudar seu filho a lidar com essas sensações.

SOM NA CAIXA
Uma música relaxante na hora de dormir pode acalmar os nervos e garantir uma noite de sono mais tranquila.
ERA UMA VEZ…
A leitura – que se for conjunta, é ainda melhor – também pode ajudar a desacelerar.
BANHO QUENTE
Esse relaxa corpo, mente e alma! Nada como um banho quentinho antes de deitar.

Tirando de cena
O diagnóstico oficial é geralmente feito pelo dentista, que pode avaliar também o nível do desgaste dos dentes (se for o caso). Por isso, um tratamento multidisciplinar, envolvendo dentistas, psicólogos e pediatras, pode ser o mais indicado.

A prática de esportes pode ajudar a combater o hábito, assim como evitar o uso de smartphones, tablets ou TVs próximo à hora de dormir também. E isso, porque as telas deixam as crianças em estado de concentração muito prolongado, tanto que podem acabar apertando e rangendo os dentes mais do que o de costume.

“O uso de placa acrílica pode ser indicado, o que impedirá o contato entre os dentes e permitirá o relaxamento da musculatura e das articulações. Em crianças, ela deve ser de acetato, que é um material mais flexível e o uso será por um período restrito, como de dois a seis meses”, esclarece Fabiana.

Sempre alerta
Como diz o velho ditado: melhor prevenir do que remediar. Por isso, segundo indicação de Alexandre Bussab, cirurgião-dentista da Clínica Brasil Smiles, A prevenção pode ser feita retirando mamadeiras e chupetas, já que elas podem modificar a posição dos dentes.

Outros fatores que podem desencadear a condição são respiração bucal, desvio de septo, hereditariedade e alimentos que exigem muito da mastigação, como balas e chicletes, por exemplo.

Leia também:

Medo de dentista? Especialista dá dicas para você ajudar seu filho

Bruxismo infantil: seu filho range os dentes?

322 crianças tiveram todos os dentes extraídos e você precisa saber o motivo