;
Saúde

Conheça as novas possibilidades para o tratamento do câncer infantil

Veja os benefícios que o avanço nas pesquisas traz para as crianças doentes

Rhaisa Trombini

Rhaisa Trombini ,Edileyne e Geraldo

Novas conquistas no tratamento do câncer infantil (Foto: Shutterstock)

Novas conquistas no tratamento do câncer infantil (Foto: Shutterstock)

A quimioterapia não funciona para cerca de 15% das crianças com leucemia linfoblástica aguda. A criança simplesmente não responde ao tratamento ou o câncer volta repetidamente. Os médicos não podiam fazer mais nada antes dos esforços do Hospital Infantil Filadélfia (CHOP), da Universidade da Pensilvânia e da empresa farmacêutica Novartis, pioneira na terapia com células CAR T.

Os cientistas descobriram como remover os glóbulos brancos do próprio paciente, programá-los para atacar a leucemia, e devolvê-los – um conceito que tem sido estudado por mais de 20 anos.

“A terapia colocou de 80 a 90% das crianças em remissão e mais da metade deles ainda não manifestaram novamente o câncer”, diz Stephan Grupp, MD, Ph.D., diretor do programa de Câncer e Imunoterapia do CHOP. Foi ele quem tratou a primeira criança, Emily Whitehead, com as células T CAR em 2012.

Agora ela é uma aluna da oitava série e permanece livre do câncer, visitando o hospital apenas 2 vezes por ano para exames. “Se você conhece a Emily para primeira vez, nunca saberia o que ela passou “, diz seu pai, Tom, que iniciou um fundação com o nome da filha para financiar as pesquisa sobre câncer. “Os médicos da Emily são nossos heróis.”

Os cientistas procuram usar as células do próprio corpo da criança para combater o câncer (Foto: Shutterstock)

Os cientistas procuram usar as células do próprio corpo da criança para combater o câncer (Foto: Shutterstock)

O Dr. Grupp ajudou 25 centros em 11 países a implementar a terapia, chamada de Kymriah. Agora, CHOP e o Instituto Nacional do Câncer são se juntando com a St. Baldrick’s Foundation’s Stand Up to Cancer Pediatric Cancer Dream Team para desenvolver novos tratamentos para outros tipos de câncer infantil difíceis de curar.

Membro do dream team, o Hospital Infantil de Seattle está trabalhando em uma vacina para permitir que as Células T reprogramadas durem mais tempo na esperança de aumentar o sucesso das taxas. “Nós também estamos estudando como fazer as células T atacarem tumores sólidos, como neuroblastomas e tumores cerebrais “, explica Mike Jensen, M.D., diretor da Seattle’s Ben Towne Center for Childhood Cancer Research.

Leia também:

Michael Bublé se emociona ao falar sobre câncer do filho: “É algo muito dolorido”

Projeto Dodói permite tratamento mais humanizado para crianças com câncer

Garoto de 10 anos deixa cabelo crescer para fazer doação à meninas com câncer