Bebês

Entenda por que a amamentação exclusiva é tão importante

Semana Mundial do Aleitamento Materno veio para conscientizar todo mundo sobre os benefícios do leite materno para o bebê

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

A Semana Mundial da Amamentação acontece do dia 1 a 7 de agosto (Foto: iStock)

Na Semana Mundial do Aleitamento Materno que acontece do dia 1 a 7 de agosto, o obstetra e especialista em reprodução humana Rodrigo da Rosa Filho, pai da Giovanna, nosso colunista do site, fala sobre os benefícios da amamentação. “O aleitamento materno é recomendado de forma exclusiva – sem oferecer outro alimento ao bebê, até os seis meses de idade. Ele previne a anemia, alergias, obesidade e a intolerância ao glúten. Além disso, aumenta o vínculo entre mãe e filho e colabora para que a criança se relacione melhor com outras pessoas”.

De acordo com o especialista, “imediatamente após o parto, já existe o colostro. A partir de então, a criança deve ser amamentada na hora e quando quiser. Nos primeiros meses, é normal que o bebê mame com frequência e sem horários regulares. Em geral, um bebê em aleitamento materno exclusivo, mama de oito a 12 vezes ao dia. Com o tempo, a tendência é que a criança estabeleça os horários das mamadas”, explica o médico, que alerta, “as mamadas na fase de recém-nascido não devem ultrapassar seis horas, após esse período o bebê deve ser acordado pela mãe.”

Dá para aumentar a produção de leite, o doutor aconselha que você mantenha sempre uma alimentação saudável e faça refeições equilibradas. É bom também evitar alimentos industrializados e embutidos, refrigerantes e bebida alcoólica durante toda a gestação nem pensar! E procure evitar consumir esses produtos durante a amamentação também. Água é sempre bem-vinda, procure ingerir três litros por dia. Chá ou suco natural também podem fazer parte do cardápio.

O especialista também indica algumas ações práticas. São elas:

·  Aumentar a frequência das mamadas. Quanto mais vezes o bebê mamar mais leite será produzido.

·  Evitar o uso de chupetas e mamadeiras: Enquanto a amamentação ainda não estiver bem estabelecida, deve-se evitar o uso de bicos artificiais, pois os movimentos da sucção são diferentes da amamentação, o que pode causar confusão ao bebê, levando-o a não conseguir pegar na mama da forma correta.

·  Assegurar que tanto o bebê como a mãe se encontram numa posição correta e confortável. O bebê deve estar com a cabeça em linha reta com o corpo e a barriga virada para a da mãe. O queixo do bebê deve estar encostado à mama e o lábio inferior virado para fora – ele deve abocanhar o mamilo e grande parte da aréola.

Leia também:

Como engravidar após aborto de repetição

Análise de hormônio AMH revela que fatores ambientais podem diminuir as chances de gravidez

Infertilidade masculina: entenda o que é a fragmentação do DNA espermático