;
Criança

Estudo mostra que autismo pode ser diagnosticado ainda em bebês a partir dos 3 meses

A assertividade do exame é de 95%

Emily Santos

Emily Santos ,filha de Maria Teresa e Francisco

Exame ajuda a diagnosticar o autismo precocemente (Foto: iStock)

Um estudo realizado pelo Hospital Infantil de Boston, a Harvard Medical School e a Universidade de Boston, publicado pelo periódico Scientific Reports revelou que um exame simples e popular pode ajudar no diagnóstico precoce do autismo. Os pesquisadores conseguiram definir quais bebês, aos 3 meses, tinham inclinação ao transtorno do espectro autista e qual o grau de comprometimento do cérebro pela doença

A descoberta foi feita após a análise colaborativa de 188 bebês. Todos fizeram um eletroencefalograma (EEG) e foram acompanhados dos 3 aos 36 meses para confirmar a assertividade do exame. 99 das crianças que participaram do estudo tinham um irmão mais velho com autismo e outras 89 eram consideradas baixo risco.

O diagnóstico definitivo geralmente é feito por volta dos 36 meses da criança, mas o estudo confirmou que a assertividade do exame feito aos 6 meses de vida é superior a 95%.

As importâncias deste estudo são diversas, mas a principal é que, com o EEG que é um exame simples e acessível, pode facilmente diminuir a espera angustiante de pais pelo diagnóstico correto dos filhos e adiantar qualquer tipo de acompanhamento especial que a criança precise.

Outra vantagem do EEG é sua praticidade para ser feito, já que o exame não é nada invasivo e não exige nem mesmo que os cabeços da criança seja raspado.

Leia também:

Estudo comprova que lar com pai ou mãe solo não prejudica a criança

Estudo esclarece quais técnicas para evitar o resfriado funcionam ou não

Estudo explica porque os homens sofrem muito mais com a dor que as mulheres (e a gente já sabia)