Criança

Pesquisa mostra que 21% das crianças deixam de comer ou dormir por causa da internet

Controle dos pais pode ser alternativa para monitorar tempo que as crianças passam na web

Ingrid Campiteli

Ingrid Campiteli ,filha de Sandra e Paulo

O tempo gasto das crianças no celular pode ser prejudicial à saúde (Foto: iStock)

Sabemos que o munto atual é completamente digital, e as crianças crescem usando dispositivos, aplicativos, videogames e internet todos os dias, cada vez mais cedo, e isso influencia diretamente na alimentação e rotina de sono das crianças. De acordo com os dados da Tic Kids Online-Brasil, pesquisa realizada pelo Comitê Gestor da Internte (GCI), 80% das crianças entre 9 e 17 anos estão conectadas à internet, sendo que 97% nas classes sociais A e B, 85% na classe C e 51% nas classes D e E.

A pesquisa mostra também que 66% das crianças acessam a internet mais de uma vez por dia, principalmente pelo celular e dos entrevistados, 83% usam o smartphones na hora de se conectar. E sobre a questão de saúde, o tempo gasto no celular pode ser prejudicial, já que 21% das crianças deixam de comer ou dormir por causa da internet e 17% dos entrevistados já fizeram algumas buscas sobre formas de emagrecer.

Segundo os especialistas da Sociedade Brasileira de Pediatria, o ideal é limitar o tempo de exposição às mídias ao máximo de 1 hora por dia, isso para crianças entre 2 a 5 anos de idade e para os adolescentes, é necessário ficar observando se eles então isolados nos quartos e se estão dormindo o suficiente para ter uma vida saudável.

Aplicativo que pode ajudar os pais

Pensando na questão de auxiliar as famílias a organizarem melhor a rotina dos filhos ao celular e tablets, a startup AppGuardian desenvolveu um aplicativo que permite que os pais monitorem as atividades das crianças na internet. O App está disponível para Android e IOS e possibilita que os pais verifiquem a localização em tempo real dos filhos, podendo bloquear o acesso a aplicativos no celular e consigam ter um relatório do tempo gasto no YouTube e demais redes sociais.

Além dessas funções, há outra que pode auxiliar na organização da rotina é o Tempo de Tela, com ela os responsáveis conseguem determinar quanto tempo querem que os filhos fiquem na internet de forma personalizada, e tem também, o dispositivo de Navegação Segura, que filtra e bloqueia qualquer tipo de conteúdo adulto no celular ou tablet da criança promovendo mais segurança.

“Nossa ideia é facilitar o dia a dia das famílias, possibilitando mais tranquilidade aos pais na hora de lidar com a rotina digital dos filhos. Sabemos que essa geração já nasceu conectada e encontrar o equilíbrio não é fácil, portanto, nada melhor que a tecnologia para ajudar os pais a se conectarem com os filhos”, explicou Luiza Mendonça, CEO do AppGuardian.

Leia também:

Tempo recomendado de uso da internet por crianças de 6 a 12 anos é de 2 horas por dia; entenda

Como usar a internet sem se expor aos riscos

7 dicas de segurança na internet