Saúde

Poluição pode diminuir a expectativa de vida dos bebês e você precisa ficar atenta

O relatório também revela os países mais atingidos pela poluição

Nathalia Lopes

Nathalia Lopes ,Filha de Márcia e Toninho

(Foto: Getty Images)

Um relatório publicado na última quarta-feira (10) pela State of Global Air revela que a a poluição é a quinta maior causa de mortalidade em todo o mundo e é responsável por mais mortes do que álcool, drogas e desnutrição.

O mesmo relatório mostrou que a poluição pode reduzir a vida de bebês em pelo menos 20 meses, principalmente no sul da Ásia. Paquistão, Índia e Bangladesh ficaram encobertos de nuvens densas e tóxicas por vários dias consecutivos. Por mais que as nuvens fossem densas, elas eram formadas por partículas tão pequenas que podem obstruir os pulmões.

Queima de carvão, poeira de construções, gás liberados por usinas, carros e indústrias são os principais fatores que aumentam esse tipo de partículas no ar, o que faz com que a expectativa de vida seja reduzida. E para ver como isso afeta diretamente as crianças, os pesquisadores compararam a expectativa média de vida das que vivem nesses países com as que vivem em outros lugares no mundo.

E descobriram que Níger, Camarões e Nigéria também correm risco de contaminação. O relatório descobriu que as crianças em países que não estão em caso de contaminação grave, como esses listados, tem uma chance de reduzir a vida em até 20 meses.

Mas crianças nascidas hoje, em países com alto índice de poluição, podem ter a vida reduzida em até 30 meses. O relatório da State of Global Air ainda mostrou que no ano passado, 2018, a China e a Índia foram responsáveis por 50% das mortes (2.5 milhões) causadas por poluição.

Leia Também:

OMS divulga que, no mundo, 543 mil crianças morrem por ano por causa da poluição

Fralda feita de mandioca é a nova invenção para burlar a poluição ambiental 

Ficar exposto a poluição é muito pior do que a gente imagina