Bebês

Quando o arco-íris da maternidade não chega junto com o bebê

Nossa embaixadora Renata Chiarello conta como foi sua depressão pós-parto

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

depressaoposparto

Foto: Istock

Quando uma criança nasce, intuitivamente acreditamos que toda a família está feliz com aquele momento. E, muitas vezes, não entendemos o porquê de algumas mães sentirem tristeza, angústias e até crises de choro após o parto de seu filho. Pois é! Nem sempre é automática a ligação entre felicidade e novo filho. Nossa embaixadora, Renata Chiarello, do blog Mamãe Now, fez um texto sincero sobre isso.

Veja abaixo:

“Foi mais ou menos assim por aqui. Como trabalhei muitos anos visitando ginecologistas e passei bons anos perseguindo a maternidade, ouvi muito sobre um tal arco-íris, sobre chuva de estrelas que chegam assim que o bebê nasce. Muitos me disseram que essa mágica acontecia na sala de parto mesmo. Mas será que pra todo mundo é assim? Seria uma regra do ser mãe?

Não sei…o que posso dizer é que a única coisa que vi na sala de parto foi minha bebê chorando, uma máquina de monitoramento dos meus batimentos cardíacos, vários médicos a minha volta e meu marido andando pra lá e pra cá. E pra falar a verdade foi tudo tão rápido que eu nem lembrei desse negócio de arco-íris.

O fato é que depois do corte da cirurgia ser costurado, voltei pro quarto procurando e não encontrei pelo corredores do hospital uma estrelinha sequer. Bom, pensei: ah elas só chegam e brilham com o primeiro mamá. Amamentei a noite toda e mais uma vez nada.  Claro, eu estava em ambiente hospitalar, minhas estrelas estavam tímidas, chegariam em casa junto comigo e com a Betina. Fui confiante pra casa e quando entrei naquele quarto de princesa que havíamos montado pra ela, adivinha……. não, nem estrela, nem arco-íris.

Renataparto

Renata e sua família Foto: Arquivo pessoal/divulgação

Como assim? Ouvi tantas mulheres falar dessa sensação maravilhosa de enxergar luzes brilhantes, eu vi em tantas novelas….Ué, cadê o meu arco-íris? O que eu estava fazendo de errado? Por que não comigo?

E assim uma angústia tomou conta de mim, uma culpa inexplicável. A felicidade que todas as mães do mundo sentiam, não havia chegado pra mim junto com a minha bebê. Justo pra mim que rezei, que pedi tanto pela gravidez. E eu realmente não entendia o porquê. E não sabia como explicar isso.

nos 3 (2)

Foto: Arquivo pessoal/divulgação

Foram dias, noites, meses….uma angústia, um medo de tudo. Logo eu que “sabia” tudo sobre filhos (afinal eu tinha lido tanto…kkk). Logo eu que não tinha do que reclamar, uma filha linda, saudável, uma rede de apoio incrível e um marido/pai fantástico. Eu demorei muito pra entender…o problema não estava do lado de fora, ele estava dentro de mim. As minhas estrelas brilhantes, o meu arco-íris não apareceu de repente…eu procurei por ele, mas antes passei por uma tempestade interior. Mas acho que a ordem é essa né? Arco-íris costumam aparecer depois de tempestades…aqui foi assim.

Ele chegou e hoje me delicio com o colorido que trouxe pra minha vida. E se você, mãe, ainda não o enxergou…calma. Cada uma de nós tem seu tempo. Não se cobre tanto. E se tiver ficando muito difícil, peça ajuda.”

Leia mais:
Depressão pós-parto é mais comum em mães adolescentes, diz pesquisa

Baby blues não é um princípio de Depressão Pós-Parto

8 coisas que ninguém te contou sobre depressão pós-parto

 

Você gostou desse conteúdo?

Sim Não