Saúde

Semana Mundial do Aleitamento Materno: como amamentar sem dor

No começo da amamentação, é normal sentir dor na hora da descida do leite, mas dá para evitar o problema ensinando o bebê a fazer a pega correta

Jennifer Detlinger

Jennifer Detlinger ,Filha de Lucila e Paulo

É durante a amamentação que a ligação entre pais e filhos se fortalece (Foto: Getty Images)

Assim como toda a maternidade, amamentação é cercada de mitos. E nesta Semana Mundial do Aleitamento Materno, estamos fazendo uma série de matérias para tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto. A SMAM de 2019 chega com o tema “Capacite os pais e permita a amamentação, agora e no futuro!”. Celebrada por mais de 120 países, ela acontece de 1º a 7 de agosto para relembrar a importância da lactação.

A gente sabe da importância da amamentação para o bebê e por isso a mãe estar preparada psicológica e fisicamente para esse momento faz toda a diferença. Por isso, convidamos Cinthia Calsinski, mãe de Matheus, Bianca e Carolina, enfermeira obstetra e colunista da Pais&Filhos, e Amanda Pereira, nossa blogueira parceira, atriz, apresentadora e recém-mãe de Jorge, para tirar dúvidas sobre a pega correta e reforçar que a amamentação não deve ser um processo doloroso. 

“A minha primeira experiência amamentando foi maravilhosa. Nos primeiros dias foi bem tranqüilo e confortável. Fez a boca de peixinho, não machucou. Só senti desconforto com a descida do leite após cinco dias. Aí vi que precisaria de orientação, ajuda, mesmo tendo buscado muita informação antes. Chamei rápido a ajuda para não ter que reparar danos depois”, conta Amanda. 

Mas ao contrário de Amanda, algumas mães demoram até acostumar o bebê na amamentação. “Existem diversas posições para o bebê se acomodar ao seio. Mas é importante observar a boca do bebê, se está com abre de peixinho. E se queixinho do bebê toca a mama e o narizinho fique livre. Assim, ajuda a massagear a mama também, ajudando no esvaziamento”, aconselha Cinthia. 

(Foto: Getty Images)

No começo da amamentação, é normal sentir dor na hora da descida do leite. Afinal, você nunca havia feito isso. Uma das maiores dificuldades é encontrar a pega correta. Muitas mães sentem dor até conseguirem encontrar a posição. A pega correta tem que ser sempre na aréola, não pode ser no bico. A parte de cima da aréola tem que ficar mais visível do que a de baixo, os lábios do bebê devem estar em formato de peixinho e, quando ele suga, o seio da mãe vai para dentro da boca dele.

Confira algumas dicas para fazer da amamentação um momento calmo e proveitoso:

– Os lábios do bebê ficam voltados para fora, e a boca aberta como “boquinha de peixe”

– O queixo do bebê fica encostado no seio da mãe

– A barriga e o tronco do bebê ficam voltados para a mãe

– A bochecha do bebê enche quando suga o leite

– O bebê deve pegar todo o mamilo e a parte inferior da aréola

– O nariz do bebê não encosta no seio da mãe, e ele respira livremente

(Foto: Getty Images)

O que a mulher pode fazer para aliviar a dor?

Outro fator que pode causar desconforto é quando a mama está muito cheia. Para evitar passar por isso, procure ordenhar a cada quatro horas, caso você não amamente nesse período. Desde a maternidade, é importante respeitar o ritmo de fome da criança. Mas recomenda-se evitar mamadas muito espaçadas e encurtar os intervalos.

O uso de objetos como bicos de silicone podem ajudar?

Segundo os especialistas, o bico de silicone pode até atrapalhar a mamada. É muito difícil que a criança consiga sugar da maneira adequada, a melhor coisa é a mãe dar de mamar do lado do seio que não está machucado.

Quais as melhores dicas para evitar a dor?

Uma boa dica é fazer uma massagem no seio antes de colocar o bebê para mamar pela primeira vez. Massageie ao redor do seio e depois ao redor da aréola. Por fim, faça uma pequena ordenha, puxando o seio para trás e para frente. Isso faz com que os ductos de abram e o colostro saia.

Assista à live:

Leia também:

Tudo sobre amamentação: as 17 maiores dúvidas das mães

10 dúvidas que toda mãe tem sobre amamentação (e nós respondemos todas!)

Estudo da OMS prova que amamentação exclusiva diminui risco de obesidade infantil no futuro