Bebês

Carol Castro relembra intensidade do parto humanizado

A atriz postou foto no instagram e falou um pouco de como foi sua experiência durante a gestação e parto

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

carol castro

(Foto: Reprodução/Instagram)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Carol é mãe de Nina, filha do relacionamento dela com o violinista Felipe Prazeres e que nasceu em agosto deste ano de parto humanizado, escolhido pela mãe. Agora, três meses  após o nascimento da filha, a atriz relembra como foi intensa a experiência de parto humanizado. Para você que não sabe o que é um parto humanizado, é uma prática que não envolve apenas o momento do nascimento do bebê, mas toda a gestação.

Esperei a extero-gestação se concluir. O 1º ciclo se fechar. Para então, poder me permitir relembrar o parto. Tão intenso. Na minha concepção, leiga e visceral… Na minha experiência… O Parto. Veio de partir. Ir embora. Porque Aquele velho EU. Aquele “EU-ainda-filha” parte. Se vai…abrindo caminho para o “EU-Agora-Mãe”. Pode também ser “parto” de partir ao meio. Ou Por que não mesmo em pedaços? Porque ,para se deixar ir…é preciso se partir em muitos estilhaços de quem já fomos um dia. E é isso que acontece. Deixamos de ser quem éramos, para dar vida ao novo que chega, e assim, renascemos junto. Naquelas contrações infindáveis… acontece o grande encontro com a tal da dor. A tão temida…mas que nada mais é, do que um pouco de nós se esvaindo…abrindo espaço para uma nova realidade que irá nascer junto com aquele bebê que dança dentro de você para chegar ao mundo. Sim. É claro que dói deixar de ser… Pra renascer é preciso partir,repartir…deixar doer. Pra então superar. Sair mais forte dessa experiência arrebatadora que é trazer uma vida pra esse imenso universo… E é ali, naquelas horas de “partir” que nos encontramos dentro da “caverna”. Naquele lugar primitivo só seu…Onde tantas mulheres antes de nós, já estiveram um dia. Onde a natureza foi divinamente feita para tal ato milagroso: o de dar à luz. Depois de tantos meses de preparo. De construção…chega o grande dia de trazer ao mundo, aquele ser que cresceu junto com você. A cada dia, a cada mês…dentro e fora. É chegada a hora.”O Boa hora” que tanto escutamos! O instinto fala mais alto… e como numa dança, ele e a criança, bailam por entre os ritmos perfeitos do trabalho de parto. A cada contração e a HORA, a grande e aguardada hora, está mais próxima. É nisso que precisamos focar, para chegar lá…Não é na dor, que,sim, é tamanha. Ainda mais sem nenhum tipo de anestesia…mas assim, é melhor pra ela e pra mim. Que seja! E a cada contração, você se sente mais próxima…é uma a menos para ter seu bem maior nos braços.É como ouvi uma voz angelical* dizer em meu ouvido: “a do