Férias, só mais 5 minutinhos

O recesso foi tão maravilhoso que fica um aperto no coração com a volta às aulas

É difícil desapegar depois de passar esse tempo grudada nos meus filhos (Foto: Divulgação)

São 365 dias de ansiedade, esperamos o ano inteiro por ele. Ah, o recesso… Poder fazer os próprios horários, sair da rotina de trabalho, curtir ao lado de quem a gente ama. Passar um tempo focando em nós é bom demais e foi bom demais durante esse último mês. Foram dias intensos de muito aprendizado, porque essa convivência intensa com os filhos nos permite perceber o quanto eles amadureceram. Nossa, e como… 

Eu nem me lembro a última vez que consegui de fato passar duas semanas depois de viajar em casa com os meus filhos. Acompanhar a Donatella, de 4 anos, e o Vicente, de 8 meses, me mostrou que esse crescimento é uma via de mão dupla. Foi surpreendente perceber a independência da minha filha e é muito prazeroso poder acompanhar essa evolução. Foi a primeira vez que ela sentiu a presença do irmão tão forte e observar a interação dos dois está no top 10 melhores momentos desse recesso.

Nos intervalos de descanso entre uma brincadeira e outra, dá um aperto no coração, de pensar o quanto crescem rápido. Surge uma vontade de parar o tempo, congelar naquele minuto e foi assim durante esses últimos dias, que consegui me dedicar totalmente à família. Foi delicioso ter essa convivência mais profunda e eu só consigo agradecer por ter esse tempo. 

 Mas nem tudo foi fácil. Sair de férias com os filhos é um intensivão que nenhuma escola te preparou. O que são os provões de final de ano perto de ter criatividade para inventar a cada dia uma nova atividade para fazer em família? Ilusão achar que essas aguardadas férias são sinônimo de paz, descanso e “vou fazer só o que eu tiver vontade”. E olha que os chefes desse momento são bem exigentes. 

Ano que vem, ou quando tudo isso tiver oportunidade de acontecer de novo, as demandas serão outras, eles terão outra idade, será um novo mundo. Fico feliz por saber aproveitar mais do que reclamar da situação. Passa tão rápido. Passou tão rápido, mas valeu muito. É muito bom pensar que através dos meus filhos, eu tenho uma sobrevida e outro motivo para lutar.

Ufa, me sinto renovada para começar mais um ciclo e voltar a sentir saudade das férias. Embora eu passaria mais algumas semanas grudada neles, já tem uma menina aqui superansiosa para reencontrar os amigos e conhecer os novos professores! Partiu?