Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso relatam situações de racismo com filhos

O casal explica que o preconceito chegou a acontecer dentro da casa da família

Resumo da Notícia

  • Giovanna Ewbank contou que começaram a notar com mais frequência situações de racismo após se tornar mãe de duas crianças negras
  • Bruno também explicou que falas racistas aconteceram dentro da casa deles
  • O casal é pai de Titi, Bless e Zyan

Em participação ao programa Altas Horas, Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso contaram que começaram a notar com mais frequência situações de racismo após se tornarem pais de duas crianças negras. Além de notar o preconceito em situações do cotidiano, até na casa da família alguns comentários racistas foram feitos por pessoas próximas deles.

-Publicidade-

Com a adoção de Titi, de 9 anos, e Bless, de 7 anos, o casal começou a ter uma nova percepção sobre os lugares que frequentam. “Hoje, eu e Bruno escutamos coisas que, antes de sermos pais de crianças pretas, não nos ligávamos. Hoje, a gente escuta e fala: não, você não pode falar isso. Você sabe o que está falando?. Antes, íamos num restaurante, por exemplo, e só havia brancos sentados. A gente não reparava nisso”, falou Giovanna.

Os dois adotaram Titi e Bless. (Foto: Reprodução / Instagram)

“O que nos abriu os olhos e, de fato, mudou nosso olhar em relação ao mundo e nos mostrou o racismo foi o amor pelos nossos filhos. Isso nos transformou e nos transforma todos os dia”, completou a atriz.

Bruno também explicou que falas racistas aconteceram dentro da casa deles por pessoas próximas a família, e que diante dessas situações, ele faz questão de chamar a atenção das pessoas. “Quando alguma pessoa fala algo que não soa bem para nossos ouvidos, a gente fala. As pessoas acham natural falar algo do cabelo ou qualquer coisa. Isso é muito naturalizado. Escutamos dentro da nossa casa, de amigos que amam nossos filhos”, explicou ele.

Vale lembrar que os dois são pais de Titi, Bless e também de Zyan, de um ano de vida.