Mãe leva tiro na cabeça e morre após impedir que filho fosse assassinado

O caso aconteceu durante a madrugada do último domingo, 10 de abril, em Belo Horizonte. Os dois suspeitos de terem cometido o crime já foram localizados e presos pela polícia

Resumo da Notícia

  • Uma mãe morreu após tentar impedir que o filho levasse um tiro
  • O caso aconteceu em Belo Horizonte durante a madrugada do último domingo, 10 de abril
  • A mulher recebeu um tiro na cabeça e os suspeitos do crime fugiram após o acontecimento

No último domingo, 10 de abril, uma mulher de 35 anos morreu durante a madrugada após tentar impedir que o filho de 17 anos fosse morto a tiros. De acordo com a Polícia Militar, o crime aconteceu em Belo Horizonte, na região da Pampulha, dentro de uma ocupação de um prédio que está sendo construído.

-Publicidade-

O adolescente é suspeito de estar envolvido com tráfico de drogas na região. Ele e a mãe estavam em casa no momento em que duas pessoas entraram no local com a finalidade de matar o jovem. Quando percebeu o que estava prestes a acontecer, a mulher tentou impedir a entrada deles mas acabou recebendo um tiro na cabeça. De acordo com a PM, que recebeu relatos de testemunhas, os suspeitos fugiram de carro.

A mulher recebeu um tiro na cabeça após tentar impedir que dois homens atirassem no filho dela
A mulher recebeu um tiro na cabeça após tentar impedir que dois homens atirassem no filho dela (Foto: Reprodução TV Globo)

Após o crime, a polícia conseguiu identificar os dois autores do homicídio: um deles é um jovem menor de idade, de 17 anos, e teria sido o responsável por tirar a vida da mãe. O outro é um adulto de 36 anos, identificado como Paulo César Silva. Ambos teriam cometido o crime a mando do chefe do tráfico da região.

O jovem de 17 anos foi encontrado após o crime. No local onde ele estava, foram apreendidos um revólver calibre 38, dois cartuchos de munição, 15 microtubos de cocaína, 12 pedras de crack e dinheiro na quantia de R$ 502. O adolescente foi levado pela PM e o homem foi preso por ter participado do homicídio.